Publicidade

15 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Compartilhar
 

POUCO COMUM

Situação pouco comum, o prefeito Bruno Siqueira (PMDB) foi pessoalmente à Câmara ontem pela manhã para entregar a mensagem que trata da concessão de direito real de uso de terreno de 136 mil metros quadrados, localizado na BR-040, para a Fiat. No local, a empresa pretende construir um centro de distribuição, cujo retorno tributário para o município pode - depois de efetivo estabelecimento do empreendimento - chegar a R$ 5 milhões por ano. O chefe do Executivo afirmou que sua presença no Palácio Barbosa Lima era um ato simbólico para destacar a importância da instalação de uma empresa de "renome internacional" em Juiz de Fora. O projeto é considerado âncora para consolidar o município como ponto logístico. Presidente da Casa, o vereador Julio Gasparette (PMDB) declarou que pretende retribuir a visita. Gasparette manifestou aos pares o anseio de, tão logo o projeto seja aprovado, levar a decisão ao gabinete do prefeito juntamente com os demais parlamentares que integram a atual legislatura.


Aproximação?

Bruno desconversou sobre a possibilidade de a visita representar uma tentativa de aproximação com o Legislativo para aparar possíveis arestas com a base ou com o bloco oposicionista. "Respeito a independência existente entre os dois poderes", afirmou. O prefeito também disse que, apesar de algumas divergências políticas, mantém uma relação amistosa com o vereador Roberto Cupolillo (Betão, PT), um dos vereadores da oposição. "Desde os tempos em que fui vereador nesta Casa".


Quebradeira

Os municípios estão preocupados não só com o processo de desoneração estabelecido pela área econômica - para facilitar, sobretudo, setores de grande demanda, como a indústria automobilística e a de produtos de linha branca - mas também com os estados. De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios, as desonerações do Imposto de Circulação de Mercadorias devem chegar a R$ 66 bilhões. Deste total, 25% são destinados aos municípios, que perderão uma receita da ordem de R$ 15,9 bilhões. A CMN adverte que os prefeitos já não sabem mais de onde tirar recursos.


Governador

O ex-vereador Barbosa Júnior será mesmo candidato a governador pelo PSC. Segundo políticos próximos, o martelo já foi batido, quando também se definiu pelas candidaturas do vereador Noraldino Júnior a deputado estadual e do historiador Vanderlei Tomaz a deputado federal. Noraldino, no entanto, pode ter uma experiência em Brasília se a Justiça Eleitoral confirmar a cassação do mandato do deputado Stefano Aguiar, que largou o PSC e se filiou ao PSB sem qualquer justificativa, ferindo a fidelidade partidária.


Sem fundo

A caneta do Tribunal Regional Eleitoral continua com bastante tinta. Dias depois de condenar o PMDB e o PT devido à prestação de contas de campanha, o tribunal desaprovou, por unanimidade, as prestações de contas dos diretórios estaduais do PV e do PSB, ambos do exercício financeiro de 2011. A decisão também determinou a suspensão do recebimento de cotas do Fundo Partidário e o recolhimento de valores. De acordo com o relator, juiz Alberto Diniz, os dois partidos tiveram amplo direito de defesa.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?