Publicidade

20 de Fevereiro de 2014 - 07:00

Compartilhar
 

 

FORO PRIVILEGIADO

Está nas mãos do ministro Luiz Eduardo Barroso a decisão de o Supremo continuar ou não com o processo contra o ex-governador Eduardo Azeredo, que renunciou ontem ao mandato de deputado federal pelo PSDB para fugir de uma possível cassação. Além disso, ele se habilitou a ser julgado na primeira instância, em Minas, caso o STF entenda que, sem mandato, ele perdeu o foro privilegiado. Azeredo relutou muito a tomar a decisão, por entender que não tem culpa nas articulações financeiras para a sua campanha de reeleição em 1998, quando enfrentou o ex-presidente Itamar Franco, que o derrotou nas urnas. Em vários pronunciamentos, se comparou ao ex-presidente Lula, que não foi indiciado no processo do mensalão sob o argumento de não conhecer o que estava ocorrendo. Com a decisão do procurador-geral da República de pedir uma condenação a 22 anos de prisão, Azeredo se viu emparedado. Sua carta de renúncia foi entregue pelo seu filho. Em nome do PSDB, que preside em Minas, o deputado Marcus Pestana fez um discurso de desagravo, traçando o perfil de Azeredo - "honrado e trabalhador" - e advertindo que o processo não tem qualquer conotação com a articulação política em torno da sucessão de 2014.

 

Na bica

Como os primeiros suplentes de Eduardo Azeredo foram eleitos prefeitos no pleito de 2012 ou são secretários de Estado na gestão Antonio Anastasia, são fortes as chances de o ex-deputado Edmar Moreira voltar à Câmara Federal. Ele disputou pelo PR, partido que fez parte da coligação com os tucanos, e ficou na sétima suplência. Sua última passagem pela Câmara Federal foi marcada por polêmicas. Ele renunciou ao mandato em 2009, quando surgiram acusações de uso indevido da verba indenizatória, que poderia levar à abertura de um processo de cassação.

 

Entendimentos

Aviso aos candidatos que estão deixando suas apostas para última hora. Os acordos já estão sendo fechados. Em Juiz de Fora, o vereador Nilton Militão, com apoio do pastor Walter, teria reunido cerca de 250 pastores locais e de municípios vizinhos para apoiar o deputado Lafayette Andrada, para estadual, e Lincoln Portela e Walter Tosta, para federal. O vereador esteve recentemente na Cidade Administrativa, onde, por intermediação do próprio Lafayette, encontrou-se com o governador Antonio Anastasia. Uma mão lava a outra.

 

Aplausos

Dois dias antes dos desfiles das Escolas de Samba - antecipados para uma semana antes do carnaval -, a Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Wanderson Castelar (PT), entrega hoje moções de aplausos à "Corte do carnaval", isto é, ao rei Momo, Ronaldo Simplício, à rainha do carnaval, Claudiana Cristina Rosa, à primeira-princesa, Ana Cristina Rabelo, e à segunda-princesa, Isabela de Souza Lima. Também serão homenageados 43 compositores e intérpretes de samba-enredo da cidade.

 

Congresso

Juiz de Fora será sede, nos dias 10 e 11 de abril, do Congresso Nacional da OAB, que servirá de preparação para a XXII Conferência Nacional dos Advogados, em outubro, no Rio de Janeiro. O evento, com solenidade de abertura no Cine-Theatro Central, terá diversos painéis, no Centro Cultural Pró-Música, para discutir temas que visam ao aperfeiçoamento e à aceitação do temário final da Conferência Nacional - o maior evento jurídico da América Latina. O tema será "Constituição democrática e efetivação de direitos". As inscrições podem ser feitas no site http://www.oab.org.br/eventos/congresso/index.html.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?