Publicidade

25 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

Vítima do que se chamou na época de "Dilmasia", isto é, uma combinação de votos de Dilma Rousseff e Antonio Anastasia, quando ele era o candidato ao Governo do estado pelo PMDB, o ex-ministro Hélio Costa deu o troco. Em postagem na internet no fim de semana - quando costuma usar o Twitter - ele disse que o ex-ministro Fernando Pimentel será vítima do "Dilmaveiga", aludindo à combinação de votos da presidente da República, que tenta a reeleição, com o tucano Pimenta da Veiga, que enfrentará Pimentel. Há quatro anos, Pimentel, mesmo a contragosto, por pressão da direção nacional, abriu mão da disputa em favor de Hélio Costa. Mas até hoje os peemedebistas dizem que o PT só oficializou o apoio, mas não moveu um dedo para a vitória de seu candidato, que acabou sendo derrotado, ainda no primeiro turno, por Anastasia. O grupo do PMDB que defende a candidatura própria ainda guarda essa mágoa na gaveta, achando que a hora é de dar o troco.


Justificativa


Agendas

Em recente visita à cidade de Governador Valadares, a presidente Dilma Rousseff cometeu o mesmo ato falho de evento anterior, quando chamou a cidade de Juiz de Fora. Na ocasião, ela justificou que estava olhando para o reitor Henrique Duque. Desta vez, ao repetir a troca de nomes, a presidente explicou que sempre faz esse tipo de confusão, por causa da Universidade Federal de Juiz de Fora, que tem também um campus na cidade do Vale do Rio Doce. Henrique Duque, pelas evidências, continua em alta com a presidente.

Semana curta em Brasília já por conta do carnaval. Os deputados retornam hoje ao trabalho, mas com poucas perspectivas de votações importantes. A deputada Margarida Salomão desembarcou ontem na capital ante a expectativa de votação de duas PECs, mas admitiu que é possível que não sejam avaliadas. O deputado Marcus Pestana passou a segunda-feira em Belo Horizonte. Conversou com o prefeito Marcio Lacerda e teve audiência à tarde com o vice-governador Alberto Pinto Coelho e com o secretário de Governo, Danilo de Castro.


HORA DO DILMAVEIGA


Vai continuar


Reeleitos

O secretário de Saúde, José Laerte, negou ontem a intenção de deixar o cargo, como o Painel anunciou na edição de domingo. Segundo ele, não faria isso agora, quando a situação começa a entrar nos eixos, com a perspectiva de grandes ações ainda neste primeiro semestre, a começar pela nova formatação da distribuição de remédios. Segundo ele, os autores das especulações estão cometendo um equívoco ou agem de má-fé. Em viagem a São Paulo, o secretário enfatizou que seus detratores vão ter que o engolir, como postou na sua página no Facebook.

O PMDB reelegeu a sua coordenação política na região, mantendo Orlandsmidt Riani na presidência, em eleição de chapa única, ocorrida no último sábado. Na secretaria houve mudança, com a indicação de Marlon Martins para a vaga de Paulo Gutierrez. Este, por sua vez, irá assumir a presidência do conselho consultivo. O evento teve a presença do prefeito Bruno Siqueira, mas quem chamou a atenção foi o vereador Isauro Calais. Candidato a deputado estadual pelo PMN, ele conta com o respaldo dos peemedebistas para chegar à Assembleia.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a Justiça agiu corretamente ao permitir, por habeas-corpus, a soltura dos ativistas presos durante a Copa?