Publicidade

12 de Março de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

VELHAS CICATRIZES

Os peemedebistas mineiros não têm a pretensão de cair no colo dos tucanos nas eleições de outubro. A resistência à aliança com o Partido dos Trabalhadores de Fernando Pimentel e a preferência pela candidatura própria são resultado de velhas cicatrizes das eleições de 2010. Várias lideranças do PMDB, a começar pelo ex-ministro Hélio Costa, entendem que o PT fez corpo mole nas eleições vencidas por Antonio Anastasia, quando era ele o cabeça de chapa. O Dilmasia - voto em Dilma e em Anastasia - ficou na cabeça não só do candidato, mas também na de outros atores expressivos, como o deputado Leonardo Quintão. Entre PT e PSDB, o diretório está dividido, mas, quando se fala em candidatura própria, os números se aproximam da unanimidade. Tal cenário ficou claro na tarde de segunda-feira, quando o presidente do diretório, Saraiva Felipe, recebeu o presidente do PSDB, Marcus Pestana. Ele considerou o encontro cordial e lembrou que também já conversou com outras legendas.


Hora do troco

Hélio Costa não fala em represália, mas seu discurso de cicatrizes abertas foi emblemático, pois foi a senha que os defensores da candidatura própria entenderam como saída para o impasse. Na noite da mesma segunda-feira, durante reunião do diretório municipal de Juiz de Fora, o vereador Julio Gasparette, em tom bastante enfático, reafirmou a defesa da tese: "Está na hora de o PMDB sair debaixo de outros partidos e caminhar sozinho. Temos candidato". Cópias da ata da reunião serão encaminhadas à Executiva Nacional e ao comando estadual do PMDB.


Comissão

Ao mesmo tempo em que a Polícia Militar anuncia a criação de um processo administrativo para apurar a ocorrência envolvendo o vereador Wanderson Castelar (PT) - detido na madrugada de ontem após resistir a uma ordem de prisão, que, segundo ele, seria injusta -, a Câmara avalia a possibilidade de fazer o mesmo, por meio da Comissão de Ética. Seu presidente, vereador Rodrigo Mattos (PSDB), retorna hoje de Belo Horizonte e deve discutir o assunto com seus pares. A ideia é fazer a avaliação sob o olhar dos vereadores para ver se os fatos vão coincidir.


Não gostou

Antes mesmo de ser votado em plenário, o projeto de autoria do vereador Chico Evangelista (PROS), tratando de fila única nos supermercados, já causa polêmica. Em nota, o presidente do Sindicomércio, Emerson Belotti, questiona a competência do Legislativo para tratar do assunto. Segundo ele, a iniciativa de criar a possibilidade de um sistema de fila única em estabelecimento comercial pertence a cada empresa, pois a mesma é a maior interessada em atender bem o consumidor. "O projeto de lei interfere na livre iniciativa e na organização interna das empresas", adverte.


Na TV

O diretor da TV Assembleia, Rodrigo Lucena, encontra-se hoje com vereadores e assessores da Câmara Municipal para tratar da instalação da televisão do Legislativo de Juiz de Fora, cujo projeto de implantação já está em curso. Vai dar dicas sobre o comportamento dentro do plenário durante sessões em que a transmissão ocorre ao vivo e explicar como foi a experiência com os deputados estaduais. Além disso, deve tirar dúvidas dos próprios interessados. O projeto encontra problemas na parte elétrica, já que, em sendo um prédio tombado, o Palácio Barbosa Lima não pode sofrer grandes intervenções.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?