Publicidade

30 de Março de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

NÃO DISPUTA

Administrador por vocação e por profissão, o ex-prefeito Custódio Mattos não irá disputar as eleições deste ano. Seu nome esteve nas listas para deputado federal e estadual, mas ele resolveu dar curso ao atual trabalho. Como secretário de Desenvolvimento Econômico de Belo Horizonte, está contente por envolver-se pessoalmente com detalhes de um trabalho. E faz sentido. Como deputado ou prefeito, muitas demandas chegam à mesa apenas para uma assinatura ou a palavra final. No atual posto, a participação é permanente do início do projeto até a sua execução. Custódio gosta disso. Mas não se afastará da política partidária. Tomando emprestadas palavras recentemente ditas pelo também ex-prefeito Tarcísio Delgado, seu interesse pela política é visceral. "Enquanto vivo e ativo, sempre serei um militante político. Vou continuar, embora não saiba o que o futuro me reserva no curto prazo."


Vai militar

O ex-prefeito vai tirar duas semanas de férias e já marcou para o seu retorno as primeiras reuniões com o seu grupo político. Embora nem ele nem o vereador Rodrigo Mattos pretendam disputar as eleições, ele considera ser fundamental uma tomada de posição, pois a militância é permanente, mesmo considerando que o momento é de trabalhar com outras pessoas, como é o caso em questão, quando ocupa um posto estratégico na gestão do prefeito Marcio Lacerda, em Belo Horizonte.


Grupo decide

Custódio não declinou nomes que podem receber o apoio de seu grupo político, mas enfatizou que a cidade tem vários candidatos representativos. Como há tempo suficiente para conversar com o grupo e tomar uma posição, seria prematuro colocar em questão os postulantes. Ex-prefeito, e com passagens pela Assembleia Legislativa e pela Câmara Federal, ele conhece os bastidores e deve ter papel importante nas articulações, sobretudo na região, por onde se elegeu quatro vezes - uma para deputado estadual e outras três para deputado federal.


Golpe na pauta

A Assembleia Legislativa realiza amanhã e terça-feira debates sobre o Golpe Militar, com palestras de especialistas e estudiosos, seguidas por debates. Serão tratados temas como o contexto sociopolítico do golpe, as diversas frentes de resistência, o fim do regime e a fase de transição. Também será abordado o direito à verdade e à memória, que tem sido discutido em todas as instâncias de governo a partir da criação das comissões de verdade. Em Juiz de Fora, também serão feitos seminários abordando o mesmo tema.


Ouvidoria

A seccional mineira da Ordem dos Advogados do Brasil, na busca de medidas de combate à corrupção, lançou, em Belo Horizonte, com alcance para todo o estado, a Ouvidoria Eleitoral, que vai receber denúncias de atos ilícitos praticados por candidatos. O ouvidor será o jurista José Alfredo Baracho Júnior, para quem todo cidadão deve ser vigilante das liberdades democráticas. O presidente da OAB, José Baracho Júnior, acentuou que "todo indício de compra de voto, propaganda irregular, boca de urna e perturbação do sossego do eleitor devem ser denunciados".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?