Publicidade

01 de Abril de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

Os prefeitos de Matias Barbosa, Joaquim Nascimento (PSB), e de Guarani, Paulo César Santos Neves (PV), não puderam embarcar ontem para Belo Horizonte do Aeroporto Presidente Itamar Franco, entre Goianá e Rio Novo. O voo 2527, das 10h15, operado pela Azul, foi cancelado. Segundo os prefeitos, a justificativa dada nos bastidores é de que a aeronave não tinha homologação, na Anac, para pouso por instrumentos. A informação não foi confirmada pela Azul. À Tribuna, a assessoria da companhia disse apenas que o cancelamento ocorreu devido a questões operacionais. "Todos os clientes foram reacomodados por via terrestre, conforme a Resolução 141 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)", disse a nota. Paulo César, que tinha compromisso inadiável na capital, precisou acionar um carro da Prefeitura para seguir viagem, já que o ônibus cedido pela companhia não chegaria a tempo. Já Joaquim preferiu adiar a viagem para a manhã de hoje.


VOO CANCELADO


Reforma

O grupo de trabalho que discute a reforma política vai tentar uma nova reunião para discutir o tema, mas, desta vez, sem a pressa para colocá-lo em vigor. Todas as propostas remetem às eleições de 2018, sem afetar, sequer, o pleito municipal de 2016. De acordo com o deputado Marcus Pestana, que faz parte da comissão, todos os esforços serão feitos para que as propostas sejam discutidas e votadas até maio. A pressa se justifica apenas no calendário. No segundo semestre, os deputados estarão por conta das eleições em que eles próprios serão candidatos.


Isenção

O ex-prefeito Tarcísio Delgado, pelo Facebook, revelou ontem que visitantes de seu blog têm reclamado por tratar apenas de questões gerais, em vez de focar suas observações sobre os problemas da cidade. "Desculpem-me, respeito a opinião de todos, mas prefiro discutir ideias, não gosto de debater pessoas. Filosofia, política, economia, direito são temas que me motivam mais. Quando você desce para debates de assuntos muito próximos, é difícil manter a isenção", destacou.


Na reta final

O ex-vereador Gabriel dos Santos Rocha foi atropelado pelas circunstâncias políticas. Desde as primeiras articulações para a substituição da ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, que deixa o cargo para disputar uma cadeira na Câmara Federal, seu nome era o que aparecia no topo das cotações. Durante os últimos meses, Biel era figura permanente ao seu lado em eventos públicos. No entanto, com a substituição da ministra Ideli Salvatti por Ricardo Berzoini, na articulação política, e o impedimento desta em disputar o Senado em Santa Catarina, o Planalto a nomeou para a vaga de Maria do Rosário.


Doações

O Supremo Tribunal Federal retoma amanhã o julgamento do processo de interesse direto dos políticos. Trata-se de matéria estabelecendo a proibição de empresas privadas doarem dinheiro para campanhas políticas. O placar, até agora, é de quatro votos a favor da proibição, proferidos pelos ministros Luiz Roberto Barroso, Dias Toffoli, Joaquim Barbosa e o relator Luiz Fux. Mas ainda é cedo para falar em rejeição, já que sete ministros ainda não se manifestaram. A iniciativa contra as doações foi elaborada pela Ordem dos Advogados do Brasil.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?