Publicidade

11 de Abril de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

As principais lideranças tucanas saíram em socorro do candidato Pimenta da Veiga, indiciado pela Polícia Federal por ter recebido - como advogado - pagamento da agência de publicidade de Marcos Valério. Do presidente do diretório estadual do PSDB, Marcus Pestana, ao deputado mais votado Rodrigo de Castro, o discurso foi único: não haverá alteração no processo sucessório. Pimenta é o candidato e terá seu nome homologado na convenção com data ainda a ser marcada. Pestana chegou a dizer que o candidato vai tirar essa discussão de letra. Mas em política, um dos exercícios prediletos dos bastidores é a teoria da conspiração. E se a situação de Pimenta ficar mais crítica? Mordido por conta da Petrobras, o Partido dos Trabalhadores investe em achar brechas na candidatura do senador Aécio Neves. Pimenta é seu afilhado, por ter sido indicado pessoalmente por ele para disputar a vaga de Antonio Anastasia, agora ocupada por Alberto Pinto Coelho. Virou alvo.


Sem prazos

Ninguém ousa ir adiante, mas as leituras preliminares apontam para um dado crucial. Os principais atores políticos que antes da escolha de Pimenta postulavam a indicação já estão comprometidos: Alberto Pinto já é governador e poderia até tentar uma reeleição, mas não é do PSDB. Dinis Pinheiro saiu do ninho tucano e foi para o PP para ser candidato a vice. O socialista Marcio Lacerda - que chegou a ser cogitado até a última hora - ficou sem prazo, já que preferiu ficar à frente da Prefeitura de Belo Horizonte. Nessa situação, quem estaria mais bem situado é o deputado Marcus Pestana. Não tem nenhum impedimento em ser o candidato.


Na suplência

O deputado Alexandre da Silveira (PSD) é o nome mais cotado para ser o primeiro suplente numa eventual chapa ao Senado encabeçada pelo ex-governador Antonio Anastasia. Articulador da negociação que levou o partido para o palanque de Aécio Neves em Minas, a despeito de o comando nacional exigir apoio a Dilma Rousseff, o parlamentar já recebeu mostras de prestígio ao ocupar por pouco mais de um mês a Secretaria de Saúde, quando da saída de Antônio Jorge Marques. Como também saiu por força de lei, o parlamentar coloca o seu nome à disposição dos tucanos. O deputado Lael Varela (DEM) pode ser o segundo suplente.


Eleições limpas

Na plenária de hoje, às 9h, prevista para o Ritz Hotel - dentro do Congresso Nacional da OAB, que começou ontem -, haverá espaço para discussões sobre as eleições. Designado pelo Conselho Federal da OAB para encabeçar em Minas o projeto "Eleições limpas", em parceria com o "Movimento de combate à corrupção", o advogado Rodrigo Pacheco vai colocar a questão que deve ser discutida com a sociedade, levando o movimento para as cidades mineiras. Em breve nota, enfatizou ser fundamental "aprimorar o processo eleitoral e extirpar práticas viciadas nas eleições".


Segurança

Entre as mudanças aprovadas ontem pela Câmara dos Deputados, para aumentar a segurança nas casas noturnas, chama a atenção o item que proíbe o sistema de pagamento com comandas, isto é, o cliente não poderá pagar a conta ao final da festa. A ideia é evitar tumultos e filas nas saídas das boates. Caberá ao Poder Público disponibilizar informações na internet sobre autorizações de funcionamento dos locais na cidade. O projeto manteve a obrigatoriedade de que o alvará de funcionamento e a capacidade máxima do local sejam afixados na porta.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a proibição de trote nas ruas de JF, como prevê projeto aprovado na Câmara?