Publicidade

24 de Abril de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

JOGOU A TOALHA

Um dia após a reunião da bancada dos deputados federais e estaduais para tratar a aliança com o Partido dos Trabalhadores, o senador Clésio Andrade jogou a toalha e desistiu da candidatura própria ao Governo de Minas. Pesou, segundo disse em nota, a situação dos parlamentares, desconfortáveis com a falta de coligação que poderia comprometer seus projetos de reeleição. "Mesmo tendo certeza da vitória na convenção, preocupado com a eleição de seus amigos parlamentares, deputados estaduais e deputados federais, que precisam de coligação para se reelegerem, e, considerando ainda, sua história de vida, que sempre foi de construtor de pontes, acato a decisão de ontem (dia 22), tomada pela maioria da bancada do PMDB", disse. Clésio foi convencido pelo vice-presidente da legenda, Saraiva Felipe, que saiu da reunião de terça-feira com a missão de demovê-lo da candidatura, pois estava comprometendo, além da aliança, os demais parlamentares.


Intervenção

O presidente do diretório, Antônio Andrade, não participou da reunião, mas foi informado de todos os entendimentos que o aproximam mais ainda da candidatura a vice na chapa de Fernando Pimentel. Sua única pendência, agora, é mais doméstica. Por sua recomendação, o diretório estadual deve extinguir a Executiva Municipal do diretório de Belo Horizonte, presidido pelo deputado Leonardo Quintão. Este chegou a ameaçar com ação judicial, mas, com a força de Antônio Andrade, agora reforçada pela aliança com o Partido dos Trabalhadores, a intervenção deve se consolidar.


Dissidentes

Lideranças de Juiz de Fora foram surpreendidas pela decisão de Clésio Andrade, uma vez que trabalhavam com o projeto da candidatura própria e com a possível tomada de posição somente na convenção do partido, em junho. No final do ano passado, o diretório chegou a encabeçar uma moção defendendo a candidatura do senador. Ontem, uma dessas lideranças lembrou que será difícil operar a coligação por conta do pleito de 2010, quando houve vários problemas, mas não os enumerou. Lembrou apenas que o candidato Hélio Costa acabou não sendo contemplado com os votos petistas.


Pelo Vale

O deputado Marcus Pestana está disposto a dissipar os boatos de ser o eventual substituto do candidato tucano, Pimenta da Veiga, caso este tenha mais problemas por conta do recebimento de remuneração - como advogado - do publicitário Marcos Valério. Ele embarca hoje com Pimenta para um ciclo de visitas às principais cidades do Vale do Jequitinhonha. A indefinição também é problemática para ele, uma vez que tem que buscar votos para garantir sua reeleição. A dúvida torna-se uma ponte de escape de eventuais apoiadores.


Comemorou

As vendas de chocolate para a Páscoa ficaram acima das expectativas, mas não houve um aumento uniforme do comércio. Algumas lojas especializadas chegaram a registrar crescimento nas vendas de até 20%, enquanto outros ficaram em 7%. Em todos os casos, porém, houve motivo para comemorar. De acordo com o presidente do Sindicomércio de Juiz de Fora, Emerson Beloti, o crescimento médio nas vendas de unidades de produtos do setor, em comparação com o ano passado, foi bastante expressivo. A alta, apesar de ter caráter sazonal, "é muito positiva para o comércio", destacou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?