Publicidade

27 de Abril de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

PRIMEIRA CARAVANA

Vencida a resistência do senador Clésio Andrade, que abriu mão de disputar o Governo de Minas - parte de seu grupo diz que não é bem assim -, a direção estadual do PMDB parte para uma nova etapa. Nesta segunda-feira, a Executiva vai tratar das caravanas pelo interior de Minas em parceria com o Partido dos Trabalhadores. A ideia inicial seria começar por Juiz de Fora, por ser a maior cidade em que o partido está no poder, por meio do prefeito Bruno Siqueira. Mas alguns pontos precisam ser esclarecidos. O prefeito, segundo fontes que lhe são próximas, já teria feito chegar ao presidente do diretório, Antônio Andrade, de quem é amigo, as dificuldades que tem para subir ao palanque de Fernando Pimentel. Nada pessoal. O problema seria o papel de oposição desempenhado pela bancada petista na Câmara, representada pelos vereadores Roberto Cupolillo (Betão) e Wanderson Castelar. A deputada Margarida Salomão seria uma exceção.


Desconfortável

De acordo com o interlocutor, na conversa com Toninho Andrade, o prefeito teria citado episódios que o deixariam desconfortável, hoje, em fazer de caravanas com o PT. Um deles seria o convite a um representante petista para fazer parte da Administração, ocupando a Secretaria de Ação Social. O ex-vereador Flávio Cheker aceitou, mas foi obrigado a se licenciar do partido. Secretários indicados pelo PSDB e pelo PP não tiveram dificuldades com suas legendas. Na campanha do diretório, as chapas também teriam feito campanha defendendo oposição ao seu Governo.


Muita água

O presidente do diretório estadual, Toninho Andrade, está tratando do assunto, mas não antecipou que tipo de saída será adotado, enquanto Bruno prefere aguardar o resultado para se posicionar. Já o presidente do diretório municipal, Paulo Gutierrez, defensor da candidatura própria, disse que o grupo ainda não jogou a toalha, avisando que há muita coisa para acontecer. São aqueles que depositam suas esperanças, agora, no deputado Leonardo Quintão, mas este, talvez por estratégia, está em silêncio.


Tem problemas

Alguns setores da imprensa de Belo Horizonte têm apontado ruídos na campanha de Pimenta da Veiga ao Governo, pelo PSDB, após seu indiciamento pela Polícia Federal por ter recebido honorários de advogado da empresa de publicidade de Marcos Valério. O candidato, por diversas ocasiões, tem dito que foi uma armação da Polícia em razão de fatos que já ocorreram há mais de dez anos. Segundo esses articulistas, como Orion Teixeira, do jornal "Hoje em Dia", os aliados estariam preocupados com problemas como instabilidade da base, falta de coordenação de campanha, definição de chapa e distanciamento de Aécio da campanha.


Edital

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) fez chegar à Prefeitura a informação de que nesta semana será publicado o edital para execução de obras na BR-440. A proposta estabelece a complementação do projeto, com a conclusão do trecho ligando à BR-040 e, na outra ponta, levar a rodovia até o campo do Nova União, na entrada do Bairro Casablanca. Hoje, a via liga o nada a lugar algum e ainda se tornou um transtorno para os moradores da região.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?