Publicidade

30 de Abril de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

PARA AS MÃES

As mães não devem esperar dispêndio excessivo de dinheiro na compra do seu presente deste ano pelo seu dia, a ser comemorado no dia 11 de maio, o segundo domingo do mês. Uma pesquisa realizada pelo Sindicato do Comércio de Juiz de Fora constatou que boa parte dos consumidores - 31,40% - pretende gastar entre R$ 50 e R$ 100. Revelou ainda que 20,48% estão dispostos a desembolsar entre R$ 30 e R$ 50. Somente 14% deverão chegar aos R$ 150. Foram ouvidas 386 pessoas, que mantiveram a tendência de outros anos. A maioria pretende dar roupas, ficando os cosméticos em segundo lugar, seguidos de perto pelas flores. Sobre a forma de pagamento, 58,50% irão fazê-lo à vista e em dinheiro. O cartão de crédito tornou-se a segunda opção, enquanto 10,54% comprarão o presente à vista, mas por meio do cartão de débito. O presidente do Sindicomércio, Emerson Belotti, considerou os dados como prova de que o consumidor está mais cauteloso com os gastos. "Isso é comprovado pelo fato de a maioria ter optado pela compra com pagamento em dinheiro."


Conversas I

O PMDB ainda não escalou quem vai colocar guizo nos prefeitos que resistem à aliança com o Partido dos Trabalhadores, mas é provável que o próprio presidente do diretório estadual, Toninho Andrade, converse com o prefeito Bruno Siqueira. São amigos, e ele foi um dos fiadores de Bruno quando este ainda enfrentava resistência do ex-prefeito Tarcísio Delgado. Na ocasião, o presidente do diretório estadual chegou a dizer ao próprio Tarcísio que não abria mão da candidatura do atual prefeito. Bruno se queixa do PT por conta da ação da bancada na Câmara, que faz oposição ao seu governo desde o primeiro dia de mandato.


Conversas II

A questão que fica é como será resolvida essa pendência. Se os deputados peemedebistas querem a aliança e se comprometeram a conversar com os prefeitos, quem do PT, no caso de Juiz de Fora, vai conversar com os vereadores Wanderson Castelar e Roberto Cupolillo? Irão mudar sua postura na Câmara, haverá algum pacto de não agressão ou vão manter o discurso? Ambos, porém, também têm pendências internas a resolver, por conta da pretensão de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa. Há consenso de que duas candidaturas pela mesma legenda na cidade é problema. Só pode ser um.


Combustível

Se já havia articulação para o "volta, Lula", como a apresentada pela bancada do PR na Câmara Federal, a pesquisa apresentada ontem pelo instituto MDA, em parceria com a Confederação Nacional dos Transportes, é puro combustível. Pelos números, a presidente Dilma Rousseff registrou 37% das intenções de voto. Continua na liderança, mas perdeu pontos em relação ao levantamento anterior, quando tinha 43,7%. O pré-candidato Aécio Neves aparece com 21,6%, mas cresceu, pois tinha 17% na última pesquisa. Eduardo Campos (PSB) saiu de 9,9% para 11,8% das intenções de voto.


Na Justiça

O entrevero entre tucanos e petistas por conta das contas de luz da Cemig pode parar na Justiça. O PSDB ingressou com representação na Procuradoria da República, em Brasília, pedindo a apuração da "prática de ato de improbidade administrativa pelo ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, e pelo secretário de Comunicação da Presidência da República, Thomas Timothy". Quando a Cemig, em anúncios institucionais, disse que o aumento da conta de luz, de 14%, foi concedido pela Aneel, o Governo federal contrapôs dizendo que foi a companhia que pediu um percentual bem mais alto. A procuradoria é que decidirá se a questão virou política.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?