Publicidade

07 de Maio de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

TRÁFEGO DE INFORMAÇÃO

A chacina de uma mulher na região do Guarujá, em São Paulo, deu margem a discussões sobre o papel das redes sociais, uma vez que ela teria sido morta por conta de um boato que circulou na internet dando conta de ser sequestradora de crianças, o que foi negado pela família e conhecidos. A informação, sem qualquer preocupação de confirmação, foi compartilhada e tornou-se o combustível para o gesto insano. Para o professor Paulo Roberto Figueira, da Faculdade de Comunicação da UFJF, "como em qualquer ambiente de troca de informações, há circulação de todo tipo de conteúdo - desde fatos facilmente comprováveis até as mais desvairadas teorias da conspiração. Nada diferente do que já acontecia com os boatos que circulavam (e circulam) boca a boca em qualquer cidade do mundo. O que muda nesse mundo virtual é a velocidade de circulação e a extensão do alcance - o que deveria levar os internautas a desenvolverem a boa prática do ceticismo e da checagem, por meio de outras fontes, antes de admitir algo como verdadeiro".


Apuração

Ainda em suas observações, ele chama a atenção para a importância de uma boa apuração, que, às vezes, não é seguida nem mesmo por meios jornalísticos. "A rede é um bom ponto de partida, mas é insuficiente como ponto de chegada para quem quer fazer bom jornalismo. No mundo analógico, assim como no digital, continua valendo a máxima de que apurar, checar e (re)confirmar são os únicos instrumentos de que dispomos - como jornalistas ou como cidadãos - para diminuir o risco de tomar decisões equivocadas."


Instituto

O ex-deputado Marcello Siqueira está confirmado como futuro presidente do Instituto Itamar Franco, assumindo o posto ocupado até então pelo médico Saulo Pinto Moreira. O próprio Marcello convidou o subsecretário de Dinâmica Administrativa da Prefeitura, Orlandsmidt Riani, para ser o seu vice. Convite feito, convite aceito. Embora sejam questões distintas, o instituto deverá participar das discussões sobre o acervo do ex-presidente, que em breve será transferido para o memorial construído ao lado da antiga Reitoria da UFJF, no Centro da cidade.


Prazo final

Termina hoje o prazo para regularização do título eleitoral dos interessados em votar no pleito de outubro, quando estarão em jogo a Presidência da República, Governo dos estados, Congresso e assembleias legislativas. O TRE tem advertido que, a despeito de as multas serem baixas, quem não tem título de eleitor, na idade entre 18 e 70 anos, sofre uma série de impedimentos, não podendo, por exemplo, participar de concursos públicos, tirar passaporte ou fazer financiamentos em entidades públicas, como Banco do Brasil e Caixa Econômica.


Sem censura

A Comissão de Administração Pública da Assembleia deu parecer favorável, de segundo turno, a projeto do deputado Paulo Lamac (PT) que proíbe que se deem nomes de torturadores e de pessoas que cometeram crimes de lesa-humanidade a prédios e vias públicas. Um substitutivo do Bloco Minas Sem Censura acrescenta que também estão enquadrados na proibição nomes de pessoas que tenham comprovadamente participado de violação dos direitos humanos. A Comissão de Verdade ficará encarregada de emitir relatórios que constatem violações.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o resultado do PIB nos dois últimos trimestres vai interferir no resultado das eleições?