Publicidade

20 de Maio de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

ACORDOS INFORMAIS

Um dado curioso nas pesquisas realizadas em Minas, especialmente em Belo Horizonte, é a confusão que os eleitores fazem entre os nomes Pimenta da Veiga (PSDB) e Fernando Pimentel (PT). Além da quase semelhança, ainda há resquícios de pleitos anteriores. Na eleição de Marcio Lacerda para prefeito de Belo Horizonte, em 2008, Aécio, como governador, e Pimentel, como prefeito, estiveram no mesmo palanque. Alguns entrevistados acham que ainda estão juntos. O que se diz em Belo Horizonte, principalmente, é que Aécio não está preocupado com essa confusão, embora tenha sido ele o fiador da candidatura de Pimenta da Veiga, lançada ontem em evento no Barro Preto. A exemplo do Lulécio (Lula e Aécio), em 2006, e Dilmasia (Dilma e Anastasia), em 2010, o Pimentécio não seria de todo refutado. A conferir. Nos discursos de ontem, ele bateu forte nos adversários.


Melhor, não

Tancredo Neves, entre muitos conselhos, dizia que não se deve contratar quem não possa ser demitido. Por isso, a candidatura do ex-senador José Serra como vice de Aécio Neves, que daria liga em São Paulo, nunca empolgou o senador mineiro. Serra seria um problema do primeiro ao último dia de mandato, pois não tem o perfil de ser o segundo. Se fosse, iria falar o tempo todo. Ontem, ele anunciou que nunca postulou o cargo, admitindo disputar uma vaga no Senado ou na Câmara Federal. Já esteve em ambas.


Diretório

O diretório municipal do PDT faz reunião no dia 26 para deliberar sobre diversos temas ligados à campanha. O primeiro deles deverá ser a confirmação do apoio ao deputado Mario Heringer, que vai tentar a reeleição. Por enquanto, não há outro nome que entre no mesmo páreo. O presidente do diretório, Antônio Zaidam, pode colocar em pauta até mesmo a discussão estadual. Recentemente, o ex-presidente do partido Vítor Valverde - que também participará da reunião - defendeu apoio ao médico João César Novaes. Mas este também não bateu o martelo ainda.


Punição

Autoridades e especialistas que participaram do debate sobre maioridade penal na Assembleia Legislativa estão certos da necessidade de ampliar a punição a infratores menores que cometerem crimes hediondos. No entanto, eles rechaçam a mudança no Estatuto da Criança e do Adolescente quando se fala em redução da maioridade para 16 anos. O argumento é de que apenas uma minoria se envolve em crimes desse tipo, não se justificando a medida. No encontro, realizado pela Comissão de Segurança Pública, os participantes reconheceram o aumento dos crimes praticados por menores e a urgência de se tomar providências.


Hospital

O prefeito Bruno Siqueira (PMDB) reúne-se hoje, em Belo Horizonte, com o secretário estadual de Saúde, José Geraldo Prado - que foi seu colega de Assembleia Legislativa - , para tratar das obras de construção do Hospital Regional, que por sinal foram retomadas. O prefeito quer a garantia de que, até o ano que vem, a parte física esteja concluída. A partir daí, a discussão será em torno dos recursos para a instalação dos equipamentos. O Hospital Regional cumpre um papel fundamental para a Rede de Urgência e Emergência da Macrorregião, administrada pelo Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Sudeste (Cisdeste).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?