Publicidade

01 de Junho de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

RETOMADA

Dando sequência à série de entrevistas com os pré-candidatos ao Governo do estado, a Tribuna conversou com Pimenta da Veiga na última semana. Durante a entrevista, o tucano revisitou o período de 16 anos em que ficou afastado do cenário eleitoral desde sua eleição para um quarto mandato na Câmara dos Deputados, em 1998. "Em 2003 (após o fim do mandato), anunciei que me retiraria da vida pública, pois precisava reorganizar minha vida pessoal. Fui fazer o que sei, que é advogar. Mas nunca me neguei a dar alguma opinião e posição sobre os assuntos que me requeriam." O pré-candidato reforça que manteve relações com a política estadual durante o período de quase 14 anos sem ocupar um cargo público. "Muitas vezes, discuti com o então governador Aécio Neves providências que foram tomadas em Minas. Foi assim muitas outras vezes." A cinco meses da eleição, Pimenta garante que a volta ao cenário político foi uma decisão acertada. "Minha 'mineiridade' é mais forte que qualquer outra coisa."


Especificidades

O candidatável tucano defendeu que a educação será prioridade de um possível mandato. Entretanto, frisou que temas como saúde e segurança receberão a devida atenção. Pimenta destacou questões específicas que podem ser alvo de um olhar especial caso o eleitorado opte por mais quatro anos de gestão do PSDB. Entre elas, as questões referentes à mobilidade urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte e a recuperação econômica da Zona da Mata. "São assuntos relevantes e de grande importância para as pessoas que moram nessas regiões."


'Original'

Pimenta afirmou ainda que não há preocupação com relação à ligeira semelhança do nome de um de seus principais adversários no pleito de outubro, o ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Governo Dilma Rousseff, Fernando Pimentel, pré-candidato pelo PT. "O meu nome completo tem uma marca própria e é muito conhecido em Minas Gerais. Tenho uma longa trajetória na vida pública, e temos posições diferentes em muitos pontos. Ao final, os mineiros não terão dúvidas. Pimenta é o original. O outro é derivado."


Definido

O PSDB mineiro definiu o nome que será responsável pela campanha de Pimenta da Veiga ao Governo de Minas. A partir de julho, o atual secretário de Estado de Governo, Danilo de Castro, assume os trabalhos de coordenação. Para isso, ele deve se desincompatibilizar do Executivo estadual. A escolha de Danilo não chega a ser uma surpresa, já que nas últimas três eleições estaduais - todas vencidas por tucanos - ele foi o responsável pelas ações de articulações políticas das campanhas vitoriosas de Aécio Neves, duas vezes, e Antonio Anastasia.


Terceiro turno

Na entrevista à Tribuna, no domingo passado, o candidato do PT, Fernando Pimentel, disse contar com o prefeito Bruno Siqueira (PMDB) no seu palanque, mas terá que dobrar os esforços. Ante a greve do magistério, da qual lideranças do PT estariam fazendo parte, o prefeito endureceu o discurso. Ontem, durante solenidade em que inaugurava a nova estrada de acesso entre Vila Ideal e Guaruá, ele foi enfático: "O partido que perdeu as eleições no segundo turno de 2012 precisa parar de chorar. As eleições já acabaram. Agora é hora de trabalho pelo bem da cidade, e nós estamos nos esforçando muito e fazendo nossa parte".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?