Publicidade

05 de Junho de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

RELAÇÃO DIFÍCIL

Partido visto como profissional quando se trata de arranjos políticos, o PMDB, ao marcar sua convenção para o dia 10 deste mês - o primeiro dia do prazo estabelecido em lei -, pode ter dado um tiro no pé. Nem todos os diretórios estaduais estão prontos para um acordo com o Partido dos Trabalhadores (PT), o que tem forçado a Executiva Nacional a fazer o jogo de cima para baixo. Em Minas, a despeito de estar tudo certo, ainda há arestas nos municípios, bastando ver a situação de Juiz de Fora, em que o prefeito Bruno Siqueira e lideranças petistas, sobretudo por conta da greve dos professores, trocam críticas diárias. Os representantes do PT dizem que cumprem uma vocação histórica de apoiar movimentos liderados pelos sindicatos de trabalhadores, não havendo mistura com política, mas o gabinete não vê a situação da mesma forma e já levou a questão para Belo Horizonte.


Heringer

O pré-candidato ao Governo de Minas Apolo Heringer (PSB) vem a Juiz de Fora amanhã para uma palestra sobre sustentabilidade no Instituto de Ciências Humanas da UFJF. Mais tarde, o ambientalista apresentará suas propostas aos filiados da legenda, que no sábado elegem os delegados para a convenção do partido no dia 21. Heringer foi lançado com o apoio da ex-senadora Marina Silva, à revelia da direção estadual, que, na época, sinalizava apoio aos tucanos. Agora, a preocupação do ambientalista é outra: a entrada do deputado federal Júlio Delgado na disputa. Se não houver acordo, a decisão será decidida à base do voto.


Pouca chance

O ex-vice-prefeito João César Novaes, que admitiu entrar na disputa para deputado estadual pelo PMDB, tem dito que entre se candidatar e partir para uma aventura há uma diferença abissal. Ele só entra no páreo se tiver estrutura. Caso contrário, prefere tocar a vida profissional bem-sucedida. Hoje, as chances de não ser candidato são de 90%. No início da semana, o PDT, que tinha manifestado interesse em apoiá-lo, fechou com a candidatura de seu presidente em exercício, Antônio Zaidam, para deputado estadual e Mário Heringer para deputado federal.


Testemunhas

O deputado federal Júlio Delgado, relator do processo de cassação contra o deputado André Vargas (sem partido-PR), no Conselho de Ética, apresentou essa semana o plano de trabalho no Conselho de Ética como relator no processo contra André Vargas e listou o doleiro Alberto Youssef e o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, como testemunhas na representação. Os primeiros depoimentos estão marcados para 17 e 18 de junho. A intenção de Júlio é concluir o processo antes do recesso parlamentar, em julho. No total, oito nomes serão chamados a falar durante as investigações, mas os convites para falar podem ser recusados.


Liberado

Uma das principais lideranças do Partido dos Trabalhadores em Juiz de Fora, o sindicalista Oleg Abramov desligou-se, nas últimas semanas, de cargos em diversas entidades a que esteve historicamente associado nos últimos anos. Esta semana, por exemplo, ele se desvinculou da direção da CUT regional. Em abril, o petista deixou a corrente "O Trabalho" e o gabinete do vereador Roberto Cupolillo (Betão). Oleg nega que tenha pretensões eleitorais. Seu objetivo seria ter mais liberdade para construir alianças dentro do PT e tornar a legenda forte para as eleições em 2016.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que os resultados do programa "Olho vivo" vão inibir crimes nos locais onde estão as câmeras?