Publicidade

26 de Junho de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

PARTIDO DIVIDIDO

"Nestes 24 anos de vida pública, eu nunca vi algo semelhante. Estou profundamente desapontado com o que aconteceu." A declaração é do deputado Luiz Fernando Faria (PP), cujo principal reduto é a vizinha cidade de Santos Dumont, comentando os desdobramentos da convenção de seu partido, ontem, em Brasília, que culminou num racha da legenda. O presidente do diretório nacional, Ciro Nogueira, colocou em votação apenas uma deliberação, na qual se transferia para a Executiva a decisão de definir a quem apoiar para a Presidência. Deu Dilma Rousseff, mas a questão deve parar na Justiça, pois vários diretórios consideraram um gesto autoritário do parlamentar, porque não deu espaço para votação de outras propostas. Além disso, diretórios estratégicos, como os de Minas e Rio de Janeiro, estão fechados com o tucano Aécio Neves.


Tempo na TV

Para o deputado Luiz Fernando Faria, esse, no entanto, não é o problema central, pois a mesma deliberação que optou por apoiar a reeleição da presidente deu liberdade aos estados para tomarem sua posição. "Aqui não tem nem discussão, estamos com Aécio", enfatizou. A prova está no espaço que o partido ocupou na gestão tucana e continua ocupando. O governador de Minas, Alberto Pinto Coelho, também é filiado à legenda. Para o parlamentar, a questão central era apenas o tempo na televisão.


Sem conversa

Na reunião de ontem com o secretário de Governo, José Sóter Figueirôa, lideranças empresariais não tomaram nenhuma decisão, mas garantiram a realização do fórum sobre violência, que tinha sido sugerido pelo secretário. A única ressalva foi o formato. O consenso indicou que querem um evento que produza resultados, e não apenas "blá-blá-blá", como acentuou uma liderança. Um próximo encontro foi programado para o dia 4 de julho, no mesmo local e horário: Secretaria de Governo, 8h30.


Publicação

Portaria publicada na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, datada do dia 13 deste mês, oficializou o ato de exoneração do ex-vereador Gabriel dos Santos Rocha do cargo de Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos. Ele deixou o posto por não fazer parte do grupo político da ministra Ideli Salvatti, que assumiu com o afastamento da deputada Maria do Rosário, em campanha de reeleição. Biel está integrando a coordenação de campanha do candidato petista ao Governo, Fernando Pimentel.


No TRE

Toma posse amanhã o novo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Trata-se do desembargador Geraldo Augusto de Almeida, seu atual vice-presidente e corregedor da Justiça Eleitoral. Natural de Juiz de Fora, graduou-se em direito em 1971, pela Universidade do Estado da Guanabara, tendo especialização em direito civil pela Universidade de Coimbra, em Portugal. É juiz desde 1977. A ele caberá a missão de presidir as eleições deste ano em Minas Gerais. Em entrevista à Rádio Solar AM, ele destacou seus laços com a cidade.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?