JF. domingo 30 abr 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
10 de janeiro de 2017 - 18:40

Polícias, vereadores e rodoviários buscam propostas contra onda de assaltos em ônibus

Por Tribuna
Encontro discutiu insegurança da categoria (Foto: Olavo Prazeres 10-01-2017)

Encontro discutiu insegurança da categoria (Foto: Olavo Prazeres 10-01-2017)

Criar um mecanismo entre a Prefeitura de Juiz de Fora e o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte e Trânsito (Sinttro) para dar celeridade na disponibilização de imagens das câmeras de monitoramento de trânsito e do interior dos coletivos para as polícias, a fim de dar agilidade na investigação de crimes, foi uma das propostas levantadas, na tarde desta terça-feira (10), durante reunião realizada entre a Secretaria de Segurança e Cidadania da Prefeitura e representantes dos rodoviários. A Settra comprometeu-se a estudar formas de reduzir o volume de dinheiro nos ônibus, incentivando os passageiros a usarem mais cartões. O encontro também contou com representantes das polícias Militar, Civil, Guarda Municipal, Secretaria de Educação, Corpo de Bombeiros e vereadores.

“Segurança é artigo de primeira necessidade, e vamos nos unir com as secretarias de Educação, Saúde e Settra para trabalharmos juntos contra a violência”, destacou o titular da pasta de Segurança e Cidadania, José Armando da Silveira, acrescentando que ele irá até o governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), solicitar mais efetivo policial para Juiz de Fora. A reunião foi realizada para atender a reivindicação de motoristas e cobradores, que querem empenho das autoridades na redução de assaltos e ações de violência contra a categoria.
A delegada regional da Polícia Civil, Patrícia Ribeiro, afirmou que a instituição vem trabalhando de forma ágil na apuração dos roubos contra os rodoviários. “Com os inquéritos concluídos mais rápidos, mas célere pode acontecer a prisão dos infratores”, disse a policial, lembrando que a Zona Norte é a área com maior incidência desse tipo de crime. Ela ainda acrescentou que a Polícia Civil está investindo no setor de inteligência para identificação de autores de delitos. Representando a Polícia Militar, o comandante da 70ª Companhia da PM, capitão Carlos Vilaça, propôs que haja uma rearticulação do aplicativo que hoje existe para os ônibus, dando condições para que o motorista possa acionar online a PM, para deslocamento mais rápido de uma viatura; maior divulgação do uso de cartão, para evitar acúmulo de dinheiro com o cobrador; e criação de grupos no WhatsApp com motoristas, cobradores e policiais, para troca de informação.

Presentes na reunião, os vereadores Luiz Otávio (Pardal, PTC), Charlles Evangelista (PP), Sheila Oliveira (PTC), José Márcio (Garotinho, PV) e Sargento Mello (PTB) disseram que devem assumir um papel junto aos deputados estaduais de Juiz de Fora a fim de cobrar do Governo estadual mais recursos e efetivo para as polícias. “Já estamos nos articulando para a realização, ainda no primeiro semestre deste ano, de um seminário de segurança pública. O objetivo é trazer para a cidade autoridades estaduais para discutir o tema e traçar metas para aumentar a segurança”, ressaltou Sargento Mello.

Publicidade


6 comentários

  1. Joao disse:

    Isto é apenas politicagem e nada vai mudar. Conselho de bobo aos motorista, cobradores e nós usuários do transporte coletivo: Quando forem assaltados, entregue dinheiro, bolsas e celulares, e não reajam, pois policia e nem secretários estarão por perto.

  2. Rochester disse:

    Alem dos assaltos a ônibus coletivo, o mesmo que vale também nos outros transporte como táxi, trens e barcos.
    Para inibir assaltos a meta e o objetivo é:
    Eliminar o uso do dinheiro para o pagamento em tarifa nos veículos de transporte coletivos, municipais etc…
    Implantar a maquina de cartão de credito para cobradores para que os passageiros que não possui cartão de vale transporte.

  3. CRISTINA CASSARA disse:

    A segurança para os assaltos de onibus está sendo estudada, e a segurança da população ??? Assaltos em pontos de onibus, assaltos de carros, de motos, assaltos de comércios, e muitos outros. Acho melhor pensar no povo também pois nós estamos pagando seus salários.

  4. paulo ribeiro disse:

    É só blá, blá, blá e blá, blá, reuniões não adianta nada. Precisamos é de “LEIS” e isto os politicos ignoram. Só endurecem as leis de Transito. Lamentável. Lógico gera dinheiro.

  5. Eduardo disse:

    Diz na reportagem: ” A SETTRA comprometeu-se a estudar formas de reduzir o volume de dinheiro nos ônibus; incentivando os passageiros a usarem mais cartões”. Pergunta: Fizeram uma licitação cheia de falacias e porque não aumentam os pontos para recargas dos cartões? Não tem como simplificar a compra de cartões pré-pagos em bancas de jornais, por exemplo. Só existe um local onde é possível realizar a recarga de cartões, numa cidade com 600 mil habitantes!

  6. A. Coelho disse:

    “Inteligência”, “investigação”… Isso tudo é balela. O que falta em Juiz de Fora é policiamento ostensivo, presença da PM nas ruas do centro e dos demais bairros. Não se vê policiais militares nas ruas de Juiz de Fora, apenas uma ou outra viatura, e isso muito raramente. Por que? Não falta efetivo, falta efetividade e presença. Há muito mais PMs que Guardas Municipais em Juiz de Fora, então por que se vê mais GM do que PM no centro? A mítica “melhor polícia do Brasil”, na prática, é ausente.

*

Restam 500 digitos

 

Top