Publicidade

09 de Junho de 2014 - 13:03

Comissão eleitoral atribui problemas a restrições de pessoal. Resultado deve ser conhecido na madrugada de quarta-feira

Por Camila Caetano e Hélio Rocha

Compartilhar
 
Eleitores reclamam de atraso na chegada das urnas
Eleitores reclamam de atraso na chegada das urnas

Atualizada às 21h35

O primeiro dia de votação das eleições para reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) registrou problemas de atraso de urnas e falta de organização na identificação dos eleitores. A votação começou às 8h, e as urnas chegaram depois em algumas seções. Em outros locais, onde as urnas chegaram no horário, não havia lista de eleitores aptos a votar. Após as primeiras horas conturbadas, em que as três chapas foram às urnas, a UFJF viveu uma tarde de votações estável e, até o fechamento desta edição, não tinha registrado mais problemas referentes ao processo eleitoral. Segundo a comissão eleitoral, responsável por organizar o certame, o atraso se deu por problemas de logística e em virtude da ampliação no número de seções eleitorais. De acordo com os integrantes da comissão, formada por representantes da associação dos professores (Apes), do sindicato dos técnicos (Sintufejuf) e dos estudantes (DCE), o número de pessoas que trabalham no pleito é restrito. Quanto aos problemas nas listas de votação, a comissão disse que elas foram emitidas pelo Centro de Gestão do Conhecimento Operacional (CGCO) e pela Pró-Reitoria de Recursos Humanos (Pró-RH). Os dois órgãos disseram que as listas foram encaminhadas conforme o pedido dos realizadores.

O principal problema ocorreu na urna do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), onde votavam estudantes de biologia e dos anos iniciais de medicina, odontologia, farmácia, fisioterapia, enfermagem, nutrição, além de docentes e pós-graduandos lotados no ICB. Alguns alunos de medicina e odontologia, que compareceram cedo para votar e depois seguiram para cumprir com estágio em outras cidades da Zona da Mata, foram os mais prejudicados. Cerca de trinta alunos nesta situação ficaram à espera da urna, sendo que alguns desistiram e deixaram para votar na manhã desta terça-feira (10), segundo dia do pleito. A urna da unidade chegou às 11h30, segundo os estudantes, mas ainda sem a lista com os nomes aptos a participar da eleição, tendo o processo se iniciado somente ao meio-dia. O mesmo problema ocorreu na Faculdade de Odontologia, onde votam graduandos de anos finais de farmácia, odontologia e fisioterapia, além de pós-graduandos lotados nestas faculdades. Segundo a diretora da Faculdade de Odontologia, Maria das Graças Miranda Chaves, a urna chegou às 11h30, e a votação iniciou às 12h45. "A comunidade está indignada com o que aconteceu. Esse atraso prejudicou demais o sistema eleitoral", afirma a diretora. Pelas redes sociais, alunos reclamaram de atrasos também na Faculdade de Educação, no Instituto de Ciências Exatas e em outros pontos de votação.

Fiscal da chapa 10 no processo eleitoral, o pró-reitor de planejamento, Carlos Barral, confirmou o atraso das urnas e comentou os possíveis prejuízos. "Esse horário, às 8h, era muito importante para o fortalecimento do processo da democracia, porque muitos alunos de vários setores têm aula até às 10h e depois viajam, porque têm estágios fora da universidade. Em alguns casos, as atividades não permitem que eles retornem amanhã (terça) para votar", disse o pró-reitor. A chapa 10 reúne o grupo de situação, tem como candidato a reitor o diretor da Faculdade de Medicina, Júlio Chebli, com apoio do reitor Henrique Duque. Procurada pela Tribuna, a assessoria da chapa 30, liderada pelo diretor da Faculdade de Administração e Ciências Contáveis, Marcus David, disse que os atrasos em urnas foram sentidos, mas não chegaram a prejudicar o processo eleitoral. O professor da Faculdade de Engenharia Paulo Villela, candidato a reitor na chapa 20, disse que compreende as dificuldades enfrentadas pela comissão eleitoral, dado o crescimento da UFJF nos últimos anos, desproporcional ao aumento dos recursos logísticos à disposição da comissão eleitoral. "Foi um trabalho de alta complexidade. Algumas falhas podemos admitir, apesar do prejuízo inegável ao processo eleitoral."

 

Candidatos

Os três candidatos a reitor votaram pela manhã. Julio Chebli deu seu voto por volta das 11h, na unidade que dirige. Marcus David compareceu às urnas no mesmo horário, na Faculdade de Educação. Paulo Villela votou na Faculdade de Engenharia, às 13h. A eleição termina nesta terça à noite. A apuração será manual e começa logo após o fechamento das urnas. A expectativa é de que o resultado seja conhecido na madrugada de quarta-feira.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?