Publicidade

24 de Junho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 
Mesmo defendendo candidatura, Jucelio diz que seguirá decisão da legenda
Mesmo defendendo candidatura, Jucelio diz que seguirá decisão da legenda
Recém-filiado ao PSB, Tarcísio afirma que partido sem candidato não cresce
Recém-filiado ao PSB, Tarcísio afirma que partido sem candidato não cresce

Lideranças municipais do PSB ainda discutem internamente a decisão do partido, na convenção estadual do último sábado, de adiar a escolha por ter ou não candidato próprio ao Palácio Tiradentes. A data limite estabelecida pela Justiça eleitoral é 30 de junho. Os delegados, deputados e prefeitos da legenda deixaram para a executiva estadual deliberar por ter um nome na corrida ao Governo do estado ou apoiar uma chapa já colocada. A posição surpreendeu muitos quadros do partido, que desejam que o PSB tenha candidato próprio a governador e articulam o nome do deputado federal Júlio Delgado, após a retirada da pré-candidatura do ambientalista Apolo Heringer, ligado ao grupo da Rede Sustentabilidade - partido de Marina Silva cujos membros estão abrigados no PSB para as eleições de 2014.

Segundo o presidente do diretório municipal do PSB, Luiz Fernando Sirimarco Júnior, a escolha de sábado se deu por prudência, uma vez que alguns poucos membros da sigla ainda não estão fechados em torno da candidatura própria, pois avaliam as possibilidades do partido quanto a alianças e à formação de uma coligação competitiva. "Foi uma medida prudente, porque há um quadro nebuloso quanto à formação de alianças e à viabilidade de uma candidatura própria." No entanto, o ponto de vista pessoal do presidente, que marcou presença na convenção, é pelo nome de Júlio. "Ele (Júlio) não retirou sua candidatura, é o nome mais provável e esta é a melhor opção, a meu ver, pois é sentida a demanda por uma terceira via."

O ex-prefeito Tarcísio Delgado, recém-filiado ao PSB, pode se tornar candidato a deputado federal caso Júlio Delgado seja o nome do PSB na disputa pelo Governo. Segundo Tarcísio, que também esteve na convenção, houve falta de consenso quanto ao lançamento de candidato próprio, mas não foram ouvido rumores que evocassem a possibilidade de apoio à chapa do PSDB, encabeçada pelo ex-ministro (Comunicações) Pimenta da Veiga. "Não ouvi nada sobre isso. A decisão foi por prudência, mas desagradou os membros da Rede, que queriam homologar um candidato no mesmo dia." O ex-prefeito ainda disse que prefere o nome próprio, para que o partido se fortaleça em âmbito estadual e nacional. "Partido sem candidato não cresce. É claro que as alianças são importantes, mas você se candidata em primeiro turno e, se preciso, apoia em segundo."

O vereador Jucelio Maria, diferentemente de seus colegas, disse que vai conversar sobre o assunto, esta semana, para ser melhor informado sobre a decisão dos delegados. Embora manifeste, da mesma forma que seus correligionários, o anseio por candidato próprio ao Governo de Minas, Jucelio pondera que seguirá quaisquer decisões do partido. "Faremos reuniões até sábado para nos inteirarmos sobre o posicionamento do partido, muito embora seja claro que, havendo um posicionamento por parte da executiva estadual, eu o seguirei como membro do PSB."

 

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você está evitando contrair dívidas maiores em função da situação econômica do país?