Publicidade

17 de Março de 2014 - 19:43

RUs, bibliotecas e transporte funcionaram apenas pela manhã

Por Tribuna

Compartilhar
 
Grupo realizou uma visita a diversos departamentos da universidade
Grupo realizou uma visita a diversos departamentos da universidade

O período letivo na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) começou junto com a deflagração da greve dos técnico- administrativos em educação (TAEs). Nesta segunda-feira (17), serviços como os do Restaurante Universitário (RU), das bibliotecas e de transporte funcionaram apenas na parte da manhã. Segundo sindicato da categoria, 80% dos servidores aderiram ao movimento. Em nota, a assessoria de comunicação da UFJF informou que "respeita a mobilização dos técnico- administrativos em educação e compreende que a greve interfere no cotidiano da universidade".

No primeiro dia do movimento, foi criado o comando de greve, durante uma assembleia, que aconteceu por volta de 9h, no anfiteatro da Reitoria. De acordo com o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico- Administrativos das Instituições Federais de Ensino no Município de Juiz de Fora (Sintufejuf), Lucas Simeão, o grupo realizou uma visita a diversos departamentos da universidade. "Pela manhã, visitamos alguns setores e concluímos que alguns deles não podem ser fechados, pois podem causar danos irreversíveis à UFJF."

O coordenador do Sintufejuf reiterou que as provas dos concursos para seleção de novos técnicos da UFJF, que serão aplicadas nos dias 23 de março, em Juiz de Fora, e 30 de março, em Governador Valadares, não serão prejudicadas, pois a abertura de vagas é um pedido da categoria. Simeão relatou que o sindicato está aberto a negociações. "Ninguém da administração da UFJF nos procurou. Eles já estavam sabendo que a greve seria deflagrada hoje, pois há mais de um mês informamos aos responsáveis que ficaríamos de braços parados."

Apesar de o movimentar afetar a rotina dos mais de 16 mil alunos, a coordenadora-geral do Diretório Central dos Estudantes(DCE), Laiz Perrut, ressaltou que a entidade está apoiando a paralisação. "Participamos da assembleia que aconteceu ontem e estamos nos solidarizando com os técnico- administrativos, pois queremos melhoria nos serviços da instituição e na educação". A assessoria da UFJF informou que a instituição está acompanhando as negociações entre os servidores e o Governo federal e espera que se alcance um acordo em espaço de tempo mais breve possível. Para esta terça, está marcada uma reunião da categoria, às 9h, no RU do Centro, onde serão definidos os próximos passos do movimento.

 

Reivindicações

Os servidores da UFJF reivindicam o cumprimento do acordo firmado entre a categoria e a universidade em 2012, que prevê progressão na carreira, conforme plano de cargos e salários da classe, e maior isonomia em relação aos ganhos e benefícios dos técnicos de outros setores do serviço público federal. Na pauta dos técnico-administrativos ainda estão a fixação de uma data base, garantindo a correção anual dos vencimentos acima da inflação, melhor qualidade de trabalho e pagamento de benefícios para os aposentados da categoria. Outra reivindicação dos profissionais é pela revogação da lei que determinou a adesão do Hospital Universitário (HU) à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que campanha corpo-a-corpo ainda dá voto?