Publicidade

23 de Janeiro de 2014 - 07:00

Após Rede divulgar nota defendendo candidatura própria em Minas, Júlio reage e diz que escolha será determinada pelos quadros do PSB

Por Tribuna

Compartilhar
 
Júlio: "É preciso deixar pontes construídas"
Júlio: "É preciso deixar pontes construídas"

O presidente do PSB em Minas, deputado Júlio Delgado, sinalizou nesta quarta-feira (22) com a possibilidade de aliança entre seu partido e o PSDB, do atual governador, Antônio Anastasia, nas eleições estaduais deste ano. O posicionamento foi manifestado logo após membros da Rede Sustentabilidade do estado, defenderam, através de nota, candidatura própria da sigla, salientando a necessidade de se "romper a hegemonia do PSDB em Minas Gerais". Em entrevista concedida à Tribuna, ele falou sobre a posição da Rede Sustentabilidade contrários à coalizão com o Governo, afirmando que construir alianças entre as legendas, em âmbito local, pode ser uma vantagem caso uma delas avance para o segundo turno, em outubro.

Segundo Júlio Delgado, a decisão ainda não está tomada e, quando estiver, será determinada pela escolha dos quadros do PSB. Ele garante, porém, que será respeitada a opinião dos integrantes da Rede que encontram abrigo no partido. "Nosso estado têm suas particularidades, que não precisam seguir o cenário nacional, em que o PSB e o PSDB terão seus candidatos a presidente. É possível que um deles vá ao segundo turno e, nesse caso, é preciso deixar pontes construídas." Segundo Júlio, os palanques regionais serão fundamentais tanto para Aécio Neves (PSDB) quanto para Eduardo Campos (PSB), no enfrentamento à presidente Dilma Rousseff (PT) durante as eleições, o que torna fundamental a costura de uma boa relação entre os partidos.

A nota da Rede, divulgada nesta quarta, foi considerada uma resposta a declarações do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), que, na semana passada, disse que "o PSB não lançará um candidato contra o PSDB" no estado. O PSB faz parte do Governo tucano desde 2003, quando Aécio foi eleito governador pela primeira vez, tendo permanecido no cargo por dois mandatos (2003-2010). Nas últimas eleições municipais, em 2012, Márcio Lacerda rompeu com o PT, apoiado por Aécio, para se reeleger em aliança com o PSDB. O socialistas chegaram a cogitar a possibilidade de o prefeito da capital deixar o cargo para tentar chegar ao Palácio Tiradentes, mas ele rechaçou a ideia, manifestando seu "desejo de continuar na prefeitura nos próximos três anos." Hoje, vários tucanos, inclusive o ex-prefeito Custódio Mattos, atual secretário de Desenvolvimento, ocupam cargos de comando na Prefeitura da capital.

O PSDB articula a candidatura do ex-ministro Pimenta da Veiga para enfrentar o ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, favorito do PT para levar o partido ao Executivo estadual.

 

Desconforto

A Rede Sustentabilidade tem sustentado posição contrária a diversas alianças construídas pelo PSB em nível estadual. dificuldade de entendimento que estaria preocupando a diretoria do partido. As principais discordâncias entre os quadros das duas siglas estão em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Santa Catarina, onde o partido está aliado ao PSDB ou ao Democratas (DEM). O texto divulgado nesta quarta pela Rede em Minas ressalta a necessidade de uma alternativa "radicalmente democrática" com uma candidatura "autêntica, independente e alinhada com os princípios que a Rede vem defendendo" para "oxigenar e renovar" a política no estado, "desgastada com o rodízio de velhos grupos no poder e há muito tempo incapaz de ousadia e inovação".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?