Publicidade

07 de Abril de 2014 - 20:12

Por Tribuna

Compartilhar
 
Ato aconteceu no Centro, neste Dia Mundial da Saúde
Ato aconteceu no Centro, neste Dia Mundial da Saúde

Nesta segunda-feira (7), Dia Mundial da Saúde, os médicos de Juiz de Fora aderiram à mobilização nacional e protestaram por melhorias no sistema público de saúde. O ato aconteceu no Centro e teve apoio da Delegacia do Conselho Regional de Medicina, do Sindicato dos Médicos e da Sociedade de Medicina e Cirurgia. Dentre as questões apontadas pela categoria estão o valor do salário inicial oferecido pela Prefeitura à categoria, a ausência de resultados na negociação do plano de cargos, carreiras e salários (PCCS), iniciada no ano passado, e as condições dos hospitais públicos.

O secretário-geral do Sindicato dos Médicos, Geraldo Sette, explica que a proposta da manifestação foi de "chamar atenção para a situação que vivemos hoje". Segundo ele, o baixo salário oferecido pela Prefeitura, que seria inferior a três salários mínimos, tem contribuído para a dificuldade em encontrar mão de obra. "Na atenção secundária, a realidade é mais complicada. Faltam médicos de várias especialidades." Sette destaca, ainda, "a situação crítica dos hospitais que, além da carência de profissionais, não possuem medicamentos e equipamentos".

Segundo o secretário de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), José Laerte Barbosa, a Administração ainda discute as políticas salarial e de carreira do município com o Sindicato dos Médicos, em negociação que envolve a entidade classista e as pastas de Saúde e Administração e Recursos Humanos. "Reconhecemos a importância, principalmente, de oferecer um bom plano de carreira, que estimule o profissional a trabalhar para a Prefeitura." José Laerte garantiu que após a construção do novo Hospital Regional, no Bairro São Dimas, Zona Norte, as condições de trabalho para os médicos serão melhores.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você confia nas pesquisas eleitorais?