Publicidade

25 de Janeiro de 2014 - 07:00

Recursos, anunciados nesta sexta, durante entrega de motoniveladoras na UFJF, serão repartidos entre obras para turismo e compra de caminhões

Por Renato Salles

Compartilhar
 
Ministro do desenvolvimento agrário, Antônio Andrade, discursa em JF
Ministro do desenvolvimento agrário, Antônio Andrade, discursa em JF

Anfitriã de uma solenidade do Ministério de Desenvolvimento Agrário que distribuiu 84 máquinas motoniveladoras a municípios mineiros com até 50 mil habitantes na manhã desta sexta-feira (24), Juiz de Fora não deixou o evento de mãos abanando. O prefeito Bruno Siqueira (PMDB) anunciou a liberação de R$ 1 milhão em recursos federais para a cidade. A verba é fruto de articulação do chefe do Executivo local junto ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade. Também do PMDB, o ministro foi uma das várias autoridades políticas presentes ao evento, realizado no Anfiteatro de Estudos Sociais, da Faculdade de Direito, no campus da UFJF, com o reitor Henrique Duque.

Segundo o prefeito, os recursos federais chegarão aos cofres municipais por duas vias. Parte, R$ 500 mil, será liberada pelo Ministério de Agricultura para a compra de dois caminhões que irão atender à Zona Rural da cidade. A outra metade virá do Ministério do Turismo para investimento de reurbanização e melhorias no Parque Halfeld e no Morro do Imperador. Entre as intervenções previstas estão a revitalização do calçamento, arborização, melhorias na iluminação e recuperação das estruturas já existentes.

"São investimentos que já foram empenhados. No caso do Parque Halfeld, estamos iniciando os trabalhos com recursos próprios. Essa verba será muito bem recebida. São dois importantes pontos turísticos de Juiz de Fora, e vamos trabalhar para melhorar a atratividade desses locais não só para nossos cidadãos, mas também para as pessoas que visitam a cidade", afirmou Bruno. Além do prefeito e do ministro Antônio Andrade, também estiveram presentes ao evento os deputados federais juiz-foranos Júlio Delgado (PSB) e Margarida Salomão (PT), além de vários outros parlamentares mineiros.

 

Motoniveladoras

Na Zona da Mata, sete cidades receberam as máquinas motoniveladoras doadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário: Abre Campo, Astolfo Dutra, Divino, Mercês, Ponto Firme, Santa Rita do Jacutinga e Tocantins. Na prática, os equipamentos serão utilizados em áreas rurais para recuperar estradas vicinais e servir como suporte para políticas de interesse social e agricultura familiar. Além dos municípios na Zona da Mata, receberam a doação cidades localizadas nas regiões Sul, Triângulo, Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri e Metropolitana. As 84 máquinas custaram R$ 38,5 milhões, recursos oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

 

 

Ministro evita falar sobre aliança

A solenidade contou com a presença de nove deputados federais mineiros e dois deputados estaduais. A maioria formada por petistas e parlamentares de partidos que dão sustentação à presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição em outubro. Os discursos foram pautados nas ações do Governo federal, com destaque para a distribuição de maquinário agrícola pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário. Assim como a corrida pela Presidência, a disputa pelo Governo de Minas e por cadeiras nos legislativos federal e estadual não ficaram à margem do palanque, e muitos falaram em tom de campanha para as dezenas de prefeitos presentes.

Ausência sentida, o nome do pré-candidato do PT ao Palácio Tiradentes, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, foi lembrado nas falas de Margarida Salomão e de Antônio Andrade. Os dois ressaltaram o anseio de Pimentel em estar presente à solenidade, vontade inviabilizada pelo fato de o ministro estar integrando a comitiva da presidente Dilma, que participa do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Um dos nomes ventilados pelo PT para candidato a vice-governador em uma chapa encabeçada por Pimentel, o ministro Antônio Andrade se esquivou do assunto.

"Vou fazer o que for melhor para o partido (o PMDB) e para Minas Gerais", afirmou Andrade. A reedição da dobradinha entre PT e PMDB em Minas segue no campo das conjecturas, já que lideranças peemedebistas, como o prefeito Bruno Siqueira, defendem a tese de candidatura própria. A proximidade com o pré-candidato petista, entretanto, ficou evidente nos recorrentes elogios feitos a Pimentel pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Uma das falas mais veementes foi a do prefeito de Mercês, Donizete Barbosa de Oliveira (PMN), que atacou diretamente a gestão do PSDB à frente do Governo de Minas. "Gastei cerca de R$ 500 mil em medicamentos de responsabilidade do estado. Vou entrar com mandado de segurança contra o Governo de Minas para reaver estes recursos." Além de Bruno, Donizete foi o único chefe de Executivo destacado para compor a mesa.

O deputado federal e presidente estadual do PSB, Júlio Delgado, discursou sobre a importância da entrega das máquinas motoniveladoras. "Essa é uma conquista dos municípios, resultado de uma grande briga da bancada parlamentar para beneficiar o maior número de municípios possíveis." No ano passado, o PSB deixou o Governo federal para se dedicar à empreitada presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Em Minas, o partido já ensaiou uma candidatura própria, com o nome do deputado juiz-forano ventilado entre possíveis cabeças de chapa. Esta semana, à revelia do posicionamento da Rede Sustentabilidade que defende a necessidade de "romper a hegemonia do PSDB em Minas Gerais", o próprio Júlio não descartou uma possível aproximação com os tucanos visando uma composição para a disputa do Palácio Tiradentes.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você tem percebido impacto positivo das operações policiais nas ruas da cidade?