Publicidade

20 de Maio de 2014 - 20:40

Por Tribuna

Compartilhar
 

Policiais civis, federais e rodoviários federais param nesta quarta-feira (21) em todo o Brasil por melhores condições de trabalho e progressão na carreira. As categorias pressionam o Legislativo federal pela aprovação, no Congresso Nacional, de duas propostas de emenda Constitucional (PECs) que preveem mudanças nas organizações policiais do Brasil. A PEC 24 visa à criação de um Fundo Nacional de Segurança Pública, e a PEC 51 objetiva implementar um novo modelo de organização interna dos órgãos de segurança pública, que solucione problemas como desvalorização dos profissionais, falta de condições de trabalho e de pessoal.

Em Juiz de Fora, haverá ato público com panfletagem às 15h, em frente à delegacia de Polícia Civil, com a participação das três categorias. Os policiais federais não vão paralisar, seguindo determinação da Justiça que proibiu interrupção de atividades na Polícia Federal no município. "Vamos fazer uma mobilização junto aos policiais civis e estaremos presentes à panfletagem, mas seguiremos o que foi determinado pela Justiça", explica o presidente do Sindicato dos Policiais Federais (Sinpef) em Juiz de Fora, Robson Carneiro da Silva. O diretor regional do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindpol/MG), Marcelo Armstrong, diz que nesta quarta as repartições da Polícia Civil funcionarão com 30% do efetivo, conforme determina a lei para serviços considerados essenciais. "Será desta forma em Minas Gerais e mais 14 estados, entre eles São Paulo e o Rio de Janeiro."

Segundo os profissionais, a aprovação das PECs possibilitaria melhorias substanciais no dia a dia das categorias, uma vez que aumentaria o financiamento para compra de equipamento, além de reestruturar a organização interna das policiais. "Com mais recursos e uma melhor organização, podemos dar solução aos nossos problemas de efetivo. Hoje, são apenas 130 policiais na Zona da Mata, apenas 25 deles cuidando de investigações", argumenta Armstrong. "Com a aprovação da PEC 51, será mais respeitada a experiência dos profissionais, pois ela vai garantir que os profissionais mais antigos atinjam o topo da carreira."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprovou a seleção convocada por Dunga?