Publicidade

23 de Abril de 2014 - 06:00

Apreciação de projetos de lei que proíbem uso de máscara em manifestação e rodeio é adiada

Por RENATO SALLES

Compartilhar
 

Dois projetos de lei de caráter restritivo entraram na pauta de votação de ontem na Câmara, mas as peças acabaram adiadas. Antes disso, os dispositivos que pretendem proibir o uso de máscaras ou qualquer outro tipo de artifício que impossibilite a identificação durante manifestações em locais públicos e o que propõe a proibição da realização de rodeios e touradas em Juiz de Fora foram alvo de discussões acaloradas. Em alguns momentos, os embates colocaram parlamentares com discursos distintos sobre os temas em rota de colisão, como quando o vereador Roberto Cupolillo (Betão, PT) sugeriu a retirada da peça que defende a restrição do uso de máscaras, o que foi prontamente rejeitado por Ana Rossignoli (PDT), autora da matéria.

Ligado ao movimento sindical da cidade, Betão pediu a palavra e fez diversas ponderações sobre o projeto. O petista chegou a afirmar que muitos dos que escondem a cara não têm reivindicações e acabam atraindo a repressão. Apesar disso, defendeu que a utilização de máscaras não configura um ato criminoso. "Quem deve definir isso é o próprio movimento. Em uma passeata de trabalhadores, nos dirigimos a um manifestante e pedimos que tirasse a máscara ou que se retirasse da passeata. Não temos em Juiz de Fora um histórico que justifique o projeto", afirmou o petista. Para justificar a matéria, Ana lembrou a invasão de manifestantes ao Palácio Barbosa Lima, em junho do ano passado.

"Não queremos impedir as manifestações. Mas é preciso mostrar a cara. Vândalos se aproveitam da situação para atitudes agressivas, imorais e de depredação do patrimônio público." O posicionamento de Ana recebeu o apoio de alguns parlamentares, como Luiz Otávio Coelho (Pardal, PTC) e João do Joaninho (DEM). Noraldino Júnior (PSC) e Rodrigo Mattos (PSDB) ainda se mostravam receosos e defendiam um maior tempo para analisar a proposição. Tanto que o tucano adiou a votação do projeto após pedido de vistas.

Da mesma forma, o projeto de José Márcio (PV) que pretende proibir a realização de rodeios acabou adiado por pedido de sobrestamento feito pelo vereador Oliveira Tresse (PSC). Antes disso, Vagner de Oliveira (PR) adotou discurso contrário à matéria e disse que os animais envolvidos neste tipo de evento não sofrem de maus tratos e atos de crueldade. "Quando prefeito de Chácara, já tivemos a realização de torneios leiteiros. Nunca vi animais tão bem tratados." Tresse e João do Joaninho afirmaram que estes animais são adestrados e bem preparados. José Márcio atacou todos os argumentos. "É um projeto de amparo popular enorme e que vai ampliar as leis de proteção aos animais."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?