Publicidade

30 de Abril de 2014 - 19:10

Funcionamento será restrito ao horário do almoço. Estudantes fecharam nesta quarta a entrada do campus pelo Pórtico Norte

Por Hélio Rocha

Compartilhar
 
O não funcionamento dos RUs suscitou indignação de grupos de alunos
O não funcionamento dos RUs suscitou indignação de grupos de alunos

A UFJF deliberou nesta quarta-feira (30), após decisão tomada em conjunto pelo reitor Henrique Duque, o pró-reitor de Planejamento, Carlos Elízio Barral Ferreira, e o procurador federal Denis Franco Silva, reabrir o Restaurante Universitário (RU) do campus a partir da próxima segunda-feira, seguindo orientação da Procuradoria Federal, que considerou essencial o serviço prestado pelo estabelecimento. O restaurante vai funcionar com 30% de sua capacidade, que serão canalizados para servir apenas o almoço, excluindo-se, durante o funcionamento parcial, o café da manhã e o jantar. A refeição será servida de segunda-feira a sábado, das 11h às 14h. Os RUs do campus e do Centro estão fechados desde os primeiros dias da greve dos técnico-administrativos da UFJF, que iniciaram o movimento em 17 de março. O Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora (Sintufejuf) se posicionou contrário à abertura e informou que a decisão é da Administração da UFJF, não dos servidores.

O não funcionamento dos RUs suscitou indignação de grupos de alunos, motivando o Diretório Central dos Estudantes (DCE) a cobrar da reitoria a reabertura, a despeito da vontade dos funcionários em greve. Um grupo de estudantes chegou a ocupar o restaurante do campus, esta semana, pedindo a volta das atividades.

Nesta quarta, um novo protesto de alunos fechou a entrada do campus pelo Pórtico Norte. O trânsito ficou interrompido das 7h até pouco mais de 11h, o que provocou congestionamentos na região de São Pedro. O tráfego na Estrada Engenheiro Gentil Forn, na pista sentido Centro/São Pedro, por exemplo, chegou a ficar praticamente parado por volta das 9h. Os manifestantes permitiram apenas o trânsito de veículos que deixavam o campus pelo Pórtico Norte. A saída e entrada de carros pelo Pórtico Sul, no Dom Bosco, não foram afetadas. A mobilização foi planejada pelo recém-criado comitê "Pela UFJF que queremos", organização que reúne representantes de diversas categorias estudantis, como diretórios e centros acadêmicos da UFJF, Assembleia Nacional dos Estudantes (Anel) e União Nacional dos Estudantes (UNE). O grupo quer que o Governo federal negocie com os servidores públicos federais, de forma que as conversas permitam o rápido retorno do funcionamento dos serviços na universidade.

Às 13h, lideranças do movimento se reuniram com um representante da reitoria, que se comprometeu a encaminhar respostas às demandas apresentadas. De acordo com a estudante Patrícia Duarte, membro do comitê, a organização luta "pela qualidade da educação pública, contra as privatizações e a favor de pautas específicas da universidade". O grupo deve solicitar, ainda, um encontro com o reitor Henrique Duque.

Segundo o Diretório Central dos Estudantes (DCE), entidade que representa o corpo discente da universidade, e o Sintufejuf, dos técnico-administrativos, a ocupação não contou com participação oficial de seus membros.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?