Publicidade

19 de Junho de 2014 - 06:00

Por Tribuna

Compartilhar
 

Após três meses de greve, os servidores federais de Juiz de Fora, inclusive os técnicos administrativos da UFJF, decidiram ontem voltar ao trabalho na próxima segunda-feira. Reunidos na manhã de ontem, em assembleia no Restaurante Universitário (RU) do Centro, os profissionais avaliaram a ordem judicial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que determinou, através de uma liminar concedida à Advocacia Geral da União (AGU), o fim imediato da interrupção de atividades. O retorno será imediato em todos os setores paralisados, e o sindicato ainda estuda como será a reposição das horas não trabalhadas dos funcionários.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições Federais de Ensino de Juiz de Fora (Sintufejuf), Paulo Dimas, a decisão atende unicamente à ordem da Justiça, não tendo os trabalhadores sido contemplados em nenhuma das reivindicações que motivaram o movimento grevista. "Obedecemos a decisão da Justiça, que colocou pena de multa de R$ 200 mil para o sindicato que mantivesse a greve." De acordo com o presidente, as horas não trabalhadas serão repostas gradativamente, o que deve demandar tempo, em virtude das horas acumuladas em 91 dias de paralisação.

Os servidores pediam a fixação de uma data base para reajuste salarial, o que garantiria ganhos anuais acima da inflação, além do nivelamento em relação a profissionais da mesma categoria que prestam serviços a outros órgãos federais. Durante a paralisação, que teve início em 17 de março, os técnicos fecharam diversos setores da UFJF, entre eles o RU e as bibliotecas. Após protestos dos alunos, cogitou-se a possibilidade de haver determinação judicial pela reabertura do local, de modo que a Procuradoria Federal orientou a reitoria a deliberar a reabertura parcial do local no dia 5 de maio.

O RU funcionou, desde então, com 30% de sua capacidade, o que implicou na oferecimento apenas de almoço, somente na unidade do campus. Os técnicos, diante da impossibilidade de fechar o estabelecimento, promoveram duas edições do chamado "roletaço", nos dias 22 e 29 de maio, em que liberaram a roleta do restaurante para que os estudantes fizessem a refeição gratuita.Na semana passada, antes mesmo da decisão do STJ e diante da falta de avanços nas negociações com o Governo federal , os servidores já haviam sinalizado o fim da greve.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você escolhe seu candidato através de: