Publicidade

15 de Março de 2014 - 06:00

Categoria pede aumento anual acima da inflação e melhores condições de trabalho. Professores também param esta semana

Por Tribuna

Compartilhar
 

Os técnicos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) iniciam, a partir desta segunda-feira (17), greve por tempo indeterminado. A iniciativa é pelo cumprimento do acordo firmado entre a categoria e a universidade em 2012, que prevê progressão na carreira, conforme plano de cargos e salários da classe, e maior isonomia em relação aos ganhos e benefícios dos técnicos de outros setores do serviço público federal. Os profissionais pedem ainda fixação de uma data base, garantindo a correção anual dos vencimentos acima da inflação, melhor qualidade de trabalho e pagamento de benefícios para os aposentados da categoria. O início do movimento coincide com o retorno das aulas na federal e vai comprometer diversos setores.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos das Instituições Federais de Ensino no Município de Juiz de Fora (Sintufejuf), a partir de segunda-feira, ficarão fechados os restaurantes universitários (RUs), as bibliotecas central e setoriais e outras repartições internas. Os carros da instituição também estarão parados, e os ônibus para transporte de funcionários vão operar apenas das 7h às 8h. Nas datas em que serão realizadas as primeiras provas dos concursos para seleção de novos técnicos da UFJF - nos dias 23 de março, em Juiz de Fora, e 30 de março, em Governador Valadares -, o sindicato vai permitir o funcionamento dos setores essenciais para a realização do certame, visto que, segundo a entidade, a realização de concursos públicos é uma pauta da categoria.

Segundo o presidente do Sintufejuf, Paulo Dimas, a greve foi deliberada há mais de um mês e foi dado o tempo necessário para que a instituições se preparassem para a mesma, uma vez que a categoria estará de braços cruzados por tempo indeterminado. "Esta semana, visitamos todos os setores da UFJF para comunicar a paralisação."

Outra reivindicação da categoria, segundo o presidente, é pela revogação da lei que determinou a adesão do Hospital Universitário (HU) à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). "Entendemos que o hospital foi construído e equipado com dinheiro público e que, portanto, deve ser administrado diretamente pela UFJF, empregando servidores federais concursados. Não por uma empresa de direito privado."

No primeiro dia da greve, será realizada assembleia do Sintufejuf, às 9h, no anfiteatro da Reitoria.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que a realização de blitze seria a solução para fazer cumprir a lei que proíbe jogar lixo nas ruas?