JF. sexta-feira 24 mar 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
29 de dezembro de 2016 - 07:00

Ponto de equilíbrio

Chevrolet Prisma LTZ se vale do preço para emplacar entre os sedãs compactos automáticos
Por Tribuna

A trajetória do Chevrolet Prisma é digna de comemorações. O sedã conquistou a liderança do segmento de três volumes compactos em 2014, repetiu o feito em 2015 e em 2016 não só mantém o mesmo posto como também alcançou a quarta posição geral do mercado nacional no acumulado de janeiro a novembro, com média de 5.411 emplacamentos mensais. Antes da reestilização promovida em julho, estava em nono nessa lista. O face-lift serviu também para deixar a versão de topo LTZ ainda mais atraente – principalmente com câmbio automático. Herdou, além da identidade visual, itens que antes eram exclusividade de modelos mais caros da marca. E as mudanças no motor 1.4 o tornaram bem mais eficiente.

Em termos estéticos, a grade dupla ganhou aspecto mais horizontalizado e leds foram incluídos nos faróis. Por dentro, os painéis das portas formam um desenho integrado com o frontal, e os revestimentos se tornaram mais agradáveis ao toque. Mas as principais alterações foram mecânicas. A começar pela troca da direção hidráulica de antes por um sistema novo, elétrico.

Uma série de aperfeiçoamentos atingiu o trem de força para ampliar a eficiência energética e o desempenho do modelo. O conjunto suspensivo está um centímetro mais baixo, o que ajuda na estabilidade e na aerodinâmica, além de contar agora com uma nova barra estabilizadora. O motor 1.4 da variante LTZ foi aprimorado: pistões, bielas e anéis foram retrabalhados, o sedã “emagreceu” cerca de 30kg e, apesar de manter os mesmos 106 cv de potência e 13,9 kgfm de torque máximos com etanol – com gasolina no tanque, esses números caem para 98 cv e 13 kgfm -, a redução de consumo em relação ao motor antes das transformações chega a 18%. Antes, as médias na cidade/estrada com etanol eram de 6,9/8,5 km/l e 9,9/12,2 km/l com gasolina. Agora, respectivamente, o InMetro constata 8,1/10,2 km/l e 11,9/14,7 km/l, nas mesmas condições.

Principais atrações no Prisma foram na parte mecânica (Foto: Divulgação)

Principais atrações no Prisma foram na parte mecânica (Foto: Divulgação)

Outro ponto que favorece o Prisma LTZ é o serviço Onstar, oferecido gratuitamente no primeiro ano e que é capaz de rastrear o veículo em caso de roubo e diagnosticar problemas mecânicos e pressão dos pneus. O conhecido sistema multimídia Mylink de conexão com smartphones, com tela de sete polegadas, também evoluiu: se tornou compatível com Android Auto e Apple CarPlay. São diferenciais importantes na briga acirrada entre os sedãs compactos nacionais.

Publicidade


Primeiro Comentário

  1. moita disse:

    Fiz uma boa viagem. Prisma 1.0 fez 19,7 da Dutra até porto alegre. Variando 19,8 andando de 90 a 100.
    Achei econômico, paciência nas subidas ,mas só na gasolina aditivada.. Recomendo. Muito bom. Agora esse 1.4 vamos ver.

*

Restam 500 digitos

 

Top