JF. terça-feira 27 jun 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
13 de março de 2015 - 17:45

Sem consumismo

Bazar de troca de roupas estimula relação sustentável com a moda e ajuda a economizar
Por Júlia Pessôa

Foi-se o tempo em que a moda era cheia de regras e limites, e também os anos em que o interesse por ela era associado a sacolas cheias, ícones de um consumismo desenfreado.  Com a desmistificação deste universo por meio de blogs variados que abordam o tema e a reinvenção das lojas de departamento, hoje polos de fast fashion, aumentou a consciência também sobre o consumo do que se usa, além do desejo por fazer valer o dinheiro gasto com o que vai para o guarda-roupa. “Acho que as pessoas têm pensado mais antes de consumir por consumir. Um dos maiores fatores é o financeiro, claro.  É difícil acompanhar tantas mudanças e todas as tendências das ‘micro-estações’. Vejo que há um consumo mais pensado, refletido de acordo com a personalidade e o estilo de cada um. Além disso, hoje há mais informação sobre a indústria da moda em si, e as infelizes associações de marcas e redes a trabalho escravo e outros crimes, e saber disso pesa no momento da compra. Muitos consumidores evitam, e isso era mais raro no passado”, pondera a consultora de estilo especializada em consumo consciente Danyla Borobia.

O bazar foi uma das saídas que Talita Scoralick encontrou quando decidiu ficar um ano sem comprar qualquer peça de vestuário ou acessório. “Descobri várias maneiras de usar as roupas que já tinha e também transformei algumas delas por meio de customização, mas o bazar foi ótimo quando dava aquela vontade de uma roupa nova”, diz ela, que se tornou blogueira de moda relatando sua “dieta fashion” no Blog da Talita.

A convite da Tribuna, Talita chamou algumas amigas para uma nova rodada de troca de roupas e acessórios. A gente acompanhou tudo, e o resultado você acompanha no vídeo abaixo, com direito a um item disputado por todas, até pela amiga que queria se desapegar dele. Confira:

Publicidade


5 comentários

  1. Latrice disse:

    Excelente análise. muito escderacelor. Agora só uma pergunta; onde cosigo comprar uma dessa aqui no Brasil. Se alguém souber por favor informe. Lídio

  2. Maria Eliane disse:

    Algumas amigas e eu participamos de um grupo no Whatsaap onde praticamos a venda ou troca de roupas, sapatos, joias, tudo o que não estamos usando. A ideia é divertida e ajuda bastante ao consumo mais consciente.
    Maria Eliane

  3. Eduardo Rezende disse:

    Meus caros. Nem 8 nem 80! Reciclagem

  4. Jose disse:

    Se não consumir > não produz > se não produz > não tem emprego > se não tem emprego > temos crise > se temos crise > temos agrafamento dos indicadores sociais como violência, fome, aumento na taxa de mortalidade…..

  5. Luiz Kelmer disse:

    Belo exemplo, boa reportagem. Isso tinha que ser copiado nos mais diversos setores da sociedade. Temos que economizar, temos que rever nossos conceitos. Belas jovens mostrando que ainda há tempo para acertar o passo. O planeta precisa urgentemente destas atitudes.

*

Restam 500 digitos

 

Top