JF. domingo 30 abr 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
18 de abril de 2017 - 12:54

Sindicato repudia ‘ação truculenta’ da PM em caso de médica do PAI

Por Sandra Zanella

*Atualizada às 16h30

O caso envolvendo uma médica do Pronto Atendimento Infantil (PAI), 48 anos, e uma adolescente, 16, que havia levado o filho de 4 meses para consulta, indignou o Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e Zona da Mata. Após um desentendimento e uma suposta agressão mútua entre as partes na tarde desta segunda-feira (17), a profissional sofreu ameaças de ser esfaqueada pela mãe do bebê e acabou sendo segurada pelo braço e conduzida coercitivamente pela Polícia Militar para prestar declarações na 1ª Delegacia Regional, em Santa Terezinha. Para o presidente da entidade, Gilson Salomão, a PM agiu com truculência. Conforme a assessoria da Polícia Civil, as duas envolvidas foram liberadas após depoimento, sendo feitas diligências preliminares em relação ao caso, que será investigado pela 7ª Delegacia. Inicialmente, a médica e a adolescente irão responder por lesão corporal, conforme o artigo 129 do Código Penal.

Em nota, a Secretaria de Saúde também informou que “repudia veementemente qualquer tipo de violência contra seus funcionários e lamenta o ocorrido”. A Prefeitura acrescentou que está acompanhando o caso de perto e aguarda a apuração dos fatos, para tomar as providências cabíveis.

O presidente do Sindicato dos Médicos destacou que realizou reunião em março com várias autoridades em busca de maior segurança para os profissionais da área da saúde. O encontro aconteceu com o comandante da 4ª Região da PM, coronel Alexandre Nocelli, representantes da Polícia Civil e da Guarda Municipal, além do secretário de Segurança e Cidadania, José Armando da Silveira.”Estamos extremamente surpresos, indignados e revoltados com a situação da médica, que foi covardemente agredida dentro do seu ambiente de trabalho, o PAI”, disse o sindicato por meio de nota. “E o que é pior, quando a PM foi chamada para intervir atuou truculentamente e chegou a agredir a médica”, completou. A entidade afirmou que está dando todo apoio à médica e que vai acionar os responsáveis para cobrar respostas. “Vamos acompanhar os fatos de perto, esta situação não pode voltar a se repetir.”

Em nota, a PM disse ter verificado no local que as agressões foram mútuas. Além disso, a guarnição diz ter presenciado a adolescente ameaçando a médica de morte. Diante dos fatos, foi dada voz de prisão à médica por agredir a adolescente, e a jovem foi apreendida pela agressão e ameaça contra a médica.

Confusão durante atendimento

Segundo informações do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, a confusão teve início quando a médica atendia o bebê levado para consulta pela adolescente. Conforme o documento, a profissional relatou que, “ao colocar o estetoscópio de um lado do peito da criança, esta teria se assustado em razão de estar dormindo”. Ao encostar o equipamento do outro lado do peito, a mãe teria questionado, afirmando que ela estaria maltratando a criança. A profissional identificou a necessidade de realização de raio-x do tórax, o qual não é feito na unidade. A adolescente foi orientada a seguir para a sala ao lado, onde uma técnica em enfermagem daria informações sobre o procedimento.

A mãe do bebê teria perguntado sobre o tempo de espera e, em seguida, teria se exaltado, reclamando da médica com outros funcionários, afirmando que iria esfaqueá-la. Houve uma discussão, e a jovem teria puxado o cabelo da profissional e desferido tapas contra ela. A médica afirmou aos policiais que não agrediu a adolescente, apenas tentou se defender das agressões.

Ainda conforme o registro policial, a mãe disse que havia levado o filho ao PAI devido a problemas no pulmão. Ela relatou que a médica havia colocado um aparelho no ouvido da criança com bastante força, provocando seu choro. A adolescente acrescentou ter pedido para a profissional ir devagar, por não se tratar de um “boneco”. Quando soube da solicitação de uma ambulância para ser realizado um raio-x no bebê, teve início a discussão. A mãe alega ter sido puxada pela blusa, ocorrendo troca de agressões. A jovem afirmou ter sofrido escoriações no antebraço direito e no seio, mas nenhuma das envolvidas desejou atendimento médico. A PM acrescentou que, ainda durante o registro da ocorrência, a adolescente insistia em ameaçar a médica, afirmando que não sairia do local sem esfaqueá-la.

De acordo com a PM, ao dar ciência de que ambas as partes deveriam comparecer à delegacia, a médica teria argumentado que não iria por estar de serviço, afirmando não desejar providência policial. Uma coordenadora clínica, 63, também teria tentado impedir a aproximação dos policiais. A presença de uma guarda municipal foi solicitada pela PM, e um cabo que estava no comando da ocorrência segurou a médica pelo braço ao vê-la saindo da sala onde estava a equipe. Em seguida, houve pedido de reforço policial para a condução das envolvidas até a delegacia. A jovem foi acompanhada por um responsável.

Publicidade


33 comentários

  1. JULIA disse:

    Comentário perfeito Antonio Capola, falou tudo!

  2. Brasileiro Enganado disse:

    Mais uma vez o HIPOCRITA ECA prevaleceu. A PM continua a ter as vezes uma atitude dúbia. Mais uma Bolsa Família ameaçando aqueles que trabalham na saúde.

  3. Luiz Cassio disse:

    É, diante de tantos comentários de insatisfações contra os hospitais públicos em juiz de Fora, onde não há médicos suficientes, acomodações decentes, falta de medicamentos, etc, e o nosso prefeito municipal Engº Bruno Siqueira, mais conhecido pelo departamento de propina da Odebrecht , como “Fino ou Sino”, preocupado em fazer calçadões. Isso sim, é caso de policia.Minhas sinceras condolências a esta médica, pois sei que estes jovens, na sua maioria nasceram no mundo da criminalidade.

  4. Carlos Gabriel disse:

    Nos países desenvolvidos o salário permite que se pague uma consulta. No Brasil, a cobrança de impostos é de primeiro mundo e ninguém fala nada. Já pagamos demais para ver esses políticos só fazendo lenha com nosso dinheiro. Roubo e mais roubo, onde vamos parar.

  5. Carlos Gabriel disse:

    O doutor da internet, que considera que a médica depois de uma situação dessas teria condições psicológicas para permanecer atendendo, deveria formar-se em medicina OU SERÁ QUE JÁ É?. Quem disse que médico perde a humanidade? Talvez possa até ser verdade PARA GRANDE PARTE, médico de tão frio com a profissão perde a humanidade! Ouviu doutorzinho…

  6. Antonio Chapola disse:

    A PM agiu de forma temerária ao retirar a servidora pública de forma coercitiva da repartição pública onde se presta serviço essencial. E se uma criança morresse por falta de médico no local? O PM iria responder por homicídio? Será que os PMs locais desconhecem a lei? Ele não sabe o que diz o Artigo 331 do Código Penal? Um policial militar pode escolher cumprir ou não uma lei ou a formação da PM está deixando a desejar?

  7. caititu disse:

    a lei tem que ser cumprida, doa a quem doer; a adolescente cometeu infração, vai apreendida; a médica cometeu crime, vai conduzida presa; simples assim; não quer ser presa então não dê direito pros outros, agrediu vai ser presa. Ou aqui é ditadura médica que se a médica for ameaçada pode partir pra violência contra quem a ameaçou e nada pode ser feita contra ela (médica) ?

  8. Rodrigo Souza disse:

    O povo que rendeu o PM é analfabeto e burro, ou só burro… Será que não entenderam que era a ÚNICA médica de plantão no PAI? Não entenderam que neste caso o PAI ficou SEM pediatra para atender as outras crianças? Era uma ocorrência de menor gravidade, não dará cadeia para nenhuma das duas. Não era mais fácil acalmar os ânimos e manter a escolta. No final do plantão ou quando o diretor técnico assumisse o plantão, a médica poderia ser presa. Da até pena dos intelectuais da internet.

  9. Henrique disse:

    Parabéns aos policiais! As leis são para todos.

  10. JULIA disse:

    Então Sra. E. Silva, antes pedir um raio x para averiguação, para constatar se realmente tinha algo com sua criança. Muitas mães são negligentes e só vão ao PAI para brigar, vi um comentário aqui de uma leitora muito coerente,deveriam chamar o Conselho Tutelar e outra… a médica não queria ir a delegacia pq estava trabalhando, para conhecimento de todos o PAI ficou sem médica durante horas, deveriam fechar até darem segurança contra pais que se comportam como bichos.

  11. antonio disse:

    E DESSE JEITO, NA HORA DE FAZER FILHO NÃO CHAMA O GOVERNO,MAS DEPOIS QUE NASCE DIZ QUE O GOVERNO E OBRIGADO A CUIDAR,DA REMEDIO,DA BOLSA ISSO BOLSA AQUILO. ME AJUDA NE, NA REGIONAL LESTE ESTA COM TODO OS ASSENTOS QUEBRADO PQ ESSE POVO ACHA QUE E DONO DE TUDO,VEM XINGANDO OS MEDICO,COSPEM NA CARA DOS MEDICO,SE ACHAMAM NO DIREITO

  12. Julio Cesar disse:

    O sindicato dos médicos está revoltado? Por que este presidente não faz visitas de surpresas nos hospitais e clinicas para ver como seus pupilos atendem as pessoas, principalmente nos hospitais publicos, não é falar sem saber a verdade dos fatos,pois, ele ficou sabendo ele não estava no local. Além do mais dizer que fez reunião com órgãos de segurança, esses órgãos estão aí para dar segurança a toda a população não somente a eles, inclusive essa mãe.

  13. alexandre cassio disse:

    Esses médicos de hoje esta cada vez pior ,nem a mao no paciente coloca,so sabe indicar remedios carissimos ,e alem de ficar olhando what zap

  14. Carlos Gabriel disse:

    Por outro lado, a saúde virou dinheiro fácil. O que tem de médico picareta, só faz por din din. Querem é nos tratar como carne de açougue. Prostituíram a medicina. País sem leme, país desgovernado. Este é o contexto. Onde está a intelectualidade…debaixo dos cobertores?

  15. Carlos Gabriel disse:

    Tenho medo, muito medo. Delegacia da mulher, do idoso, da infância, seja lá que denominação tenham só servem de fachada para a opinião pública. Pensam que enganam o cidadão que pensa? Não, somos mal atendidos do mesmo jeito, até parece que o bandido somos nós. No dia que aprendermos a exigir qualidade todas as mentiras vão acabar. Delegacia é delegacia e pronto. Todos precisam de segurança. As autoridades querem confundir o cidadão com o desserviço.

  16. Marcos disse:

    É só fazer um plano de saúde, pagar uma faculdade particular, colocar segurança eletrônica em casa assim terá saúde, segurança e educação e não ficar esperando nada desse governo e depois antigamente não tinha nada de upa nem de posto de saúde e nem eca .

  17. Sergio Garin disse:

    Agora digo, cursar 06 anos de faculdade de Medicina, mais 01 de residência médica, especialização, mestrado e doutorado para passar por esta situação. Se fosse está médica pedia demissão, e queria ver onde essa gente iria ter atendimento médico. Nos países de primeiro Mundo só existe saúde privada. Aqui no Brasil deveria ser assim. Os médicos do sus ganham um lixo para passar por situações deste nível. Quem não estiver satisfeito com a saúde, contrate um excelente plano de saúde. É vergonhoso!

  18. Willian disse:

    A lei é para todos. Se foi proferida voz de prisão para as duas, era só acatar e seguir para delegacia. Se não obedeceu, tinha mesmo que ser conduzida coercitivamente. Não estou aqui defendendo a menor infratora, que pelo exposto parece ser uma fora da lei, mas é sabido que nessas unidades de saúde tem muito profissional que não respeita o povo e se acha acima de todos e da lei. Parabéns aos policiais pela execução do procedimento CORRETO!

  19. ricardo disse:

    leva mau não, olha a regional leste,toda quebrada, e assim mesmo que os usuarios tratam os medicos nas unidade,são ameaçados de morte xingado cuspindo na cara dos profissionais de saude, quem ali esta trabalhando não tem culpa se falta medicos, na hora de arrumar filho esses serumaninhos não chamam o governo não, agora depois que nasce quer tudo de graça,pra que arrumar filho se não tem condições para cuidar.são um bando de sem educação mau educado.fala mau da unidade mais não saem de la

  20. LAURA disse:

    Absurdo o que esses policiais fizeram, muitos são despreparados e arrogantes só agem com truculência com pessoas de bem, essa menina que tinha que ser presa, atacou a médica e ainda ficou ameaçando. Pena que temos leis fracas, ao invés de botar filho no mundo pq não vai trabalhar e estudar?
    Falta segurança para esses profissionais, a médica estava fazendo o trabalho dela, quem é essa menina para questionar?

  21. JULIA disse:

    Concordo com o comentário do Sr. Celso, menina de 16 anos tem é que estar estudando e não colocar filho no mundo,abusada essa moça! Já fui ao PAI e vi ex presidiário ameaçando os profissionais, avós avançando nas atendentes, absurdo! E outra a Dra. em questão não falou “merda ” alguma, usando esse linguajar chulo como aqui escreveram, ela simplesmente não quis deixar de atender outros pacientes pois estava no horário de trabalho.Os policiais erraram e devem responder por isso!

  22. Luiz Henrique disse:

    Independente das razões, eu nunca ouvi falar de truculência policial em ação contra ponto de jogo de bicho, que é ilegal, e existem várias lojas abertas pela cidade. Porque será?

  23. wilson disse:

    Meus caros. Não é preciso estudar Direito para saber que o policial na condição de representante do Estado, tem muita Autoridade, e a ele se deve respeito e obediência. Vide Leis. Não obedecer ordem legal e crime de Desobediência. Pelo que entendi a Dra. se negou a ser presa, cometeu além do crime de leão corporal, o de Desacato e o de Desobediência; Quanto ao Sindicato, o nome Salomão, leia se Odebrecth.

  24. João Guilherme disse:

    Desde quando segurar uma pessoa que quer evadir do local de crime é agir com truculência??? Ou será que os médicos estão acima da lei?

  25. MARCO ANTONIO disse:

    TRUCULENCIA E O DESCASO DOS MEDICOS COM A POPULAÇÃO.
    SINDICATOS PARASITAS DA NAÇÃO.
    ERROU TEM QUE SER PRESO DOUTORA.

  26. João Nabuco disse:

    Médico tem de ser tratado como qualquer pessoa – com respeito!
    A PM fez o que tinha de fazer. Truculência é papo. Usa-se a força necessária e de acordo com as circunstâncias!
    Se Sindicato fosse bom para trabalhador não existiriam tantos e todos trabalhadores não estariam prestes a perder os direitos conquistados a duras penas.
    Tudo pelego!
    Muitos médicos ai deixando de trabalhar para ficar por conta de sindicato.

  27. Marta disse:

    Eu também acho que 16 anos não é idade para ter filhos. E fico me perguntando qual educação e valores que essa tal mãe tem para passar a essa criança. Aliás o Conselho Tutelar deveria entrar na história e investigar se essa criança está em segurança com uma mãe dessas que mesmo com a polícia presente continuou ameaçando esfaquear a médica. O Sindicato tem que tomar providências sim, porque existem médicos que são muito competentes e gostam do que fazem. Mas fica a dica ao Conselho Tutelar.

  28. Marcia disse:

    É preciso verificar isso profundamente nenhuma médica sai de casa para fazer mal, só para fazer o bem. O desrespeito aos profissionais da saúde tem q ser apurados com rigor.

  29. E.silva disse:

    Semana passada levei meu filho de apenas 2 meses ao PAI e pude ver o total descaso dos médicos e funcionarios que lá trabalham ! Falta profissionais qualificados e dispostos a trabalhar , pois ser medico é muito mais que um diploma, tem que amar a vida! Fiquei la horas esperando a tal ambulancia para ir fazer o raio x , e quando desisti e levei meu filho em outro hospital foi constatado que nao havia nada de errado que justificasse o pedido de um raio x. Isso é falta de qualificaçao ou descaso?

  30. Otávio Brito disse:

    Sindicato só serve pra viver de mamata e defender o que não presta. O caso é simples de entender: Se não tivesse feito nada de errado, a médica não era incomodada pela polícia!

  31. Celso M.M disse:

    Que eu saiba, 16 anos não é idade para mulher nenhuma ter um filho no braço. É época para estudos e planejamento da carreira para a vida. Por aí a gente já vai tirando uma ideia da personalidade.E ainda por cima é bem valente, pois gosta de esfaquear os outros.Independente do motivo, essa jovem está ERRADA!! Também tenho filhas nessa idade e ensino para elas todas as regras de civilidade. Ah, sou pobre também. Minas filhas estão na escola, tentando ser alguma coisa, sem ter criança no colo!!!!

  32. Daredevil disse:

    Respeito deve ser mútuo, mas o que eu mais vejo é o desrespeito de ambas as partes. Pacientes tem que ter um pouco de paciência e educação para lidar com certas situações pois já vi médicos excelentes, atenciosos e educados serem desrespeitados no ambiente de trabalho, por outro lado vi e vejo médicos escondidos em salas, mexendo no telefone, enquanto pacientes aguardavam atendimentos, muitos estão ali só por $, nada contra desde de cumpram o que combinaram.

  33. Jorge disse:

    O sindicato está extremamente indignado com a ação da polícia ? Imagina nós usuários e dependentes dos péssimos atendimentos oferecidos por estes supostos profissionais da saúde. Faltam direto ao serviço ou dão cano solicitando ao amigo para passar o ponto por ele. Se a PM agiu com truculência, deve se averiguado, mas pode ter certeza que DOUTORA deve ter falado alguma merda aos policiais . A PM está certa , tem que levar as duas mesmos , lá o delegado é quem tem a última palavra .

*

Restam 500 digitos

 

Top