JF. sexta-feira 20 jan 2017
OUÇA AGORA
Publicidade
6 de agosto de 2016 - 07:00

Tabuleiro da disputa pela PJF definido

Por Renato Salles

As cartas estão na mesa. Juiz de Fora terá sete postulantes à Prefeitura. Os nomes foram confirmados entre o dia 20 de julho e a noite de sexta-feira (5), prazo final para a realização das convenções partidárias. Além do prefeito Bruno Siqueira, (PMDB), que tentam a eleição, dois quadros voltam ao páreo: a deputada federal Margarida Salomão (PT), que chegou no segundo turno em 2008 e 2012, e a professora Victória Mello (PSTU). Outros quatro nomes são marinheiros de primeira viagem nos mares de uma eleição majoritária. São eles: os deputados estaduais Lafayette Andrada (PSD) e Noraldino Júnior (PSC), a servidora pública Maria Ângela (PSOL) e o empresário Wilson da Rezato.

 

Últimos atos

A reta final das convenções partidárias delineou os últimos atos de um jogo que já vinha sendo jogado há algumas semanas – bastante intensificado antes do apito final. Os nomes de Noraldino e de Victória foram ratificados por correligionários ontem. O deputado estadual do PSC também deixou para definir o quadro que ocupará a cadeira de vice-prefeito em sua chapa no Dia D. A solução, contudo, não fugiu à especulação, e o delegado da Polícia Federal Cláudio Dornelas (PSC) foi confirmado. Victória também confirmou o vice-prefeito da chapa pura do PSTU, com a escolha do servidor da rede estadual de ensino José Maria Carneiro.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Reviravolta

O clímax da reta final, no entanto, se deu na convenção do PPS. O partido chegou a trabalhar a pré-candidatura do empresário Eduardo Lucas (PPS). A empreitada não decolou, e a legenda acabou definindo apoio à candidatura de Lafayette Andrada. Até aí, nada que não tenha sido especulado nos últimos dias. O fato novo, contudo, foi a indicação de Eduardo Lucas como candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pelo PSD. O arranjo de última hora resultou na saída do presidente licenciado da Associação Comercial, Aloísio Vasconcelos (PSL), do jogo. Pela construção, o próprio Aloísio renunciou à nomeação, abrindo espaço para o aperto de mão entre Lafayette e o PPS.

Foto:Divulgação

Foto:Divulgação

Calendário

A partir de hoje, o calendário eleitoral traz novas vedações relativas às propagandas de candidatos e partidos. A regra proíbe emissoras de rádio e televisão transmitirem em programação normal ou noticiário imagens de realização de pesquisa em que seja possível identificar o entrevistado ou que haja manipulação de dados. Tais emissoras também não podem veicular propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidatos e partidos. Alusões às candidaturas também não poderão ser realizadas, mesmo que dissimuladamente, em filmes, novelas, minisséries ou qualquer outro formato. Neste caso, a exceção são os programas jornalísticos e os debates.

Aplicativo

Já está disponível na Apple Store e Google Play o aplicativo “candidaturas 2016″, disponibilizado pela Justiça Eleitoral. A ferramenta virtual permite que os eleitores tenham acesso aos nomes que irão disputar prefeituras e cadeiras nos legislativos municipais nas eleições de outubro. Atualizado após a criação de produto similar no pleito de 2014, agora o app permitirá aos usuários acompanhar a prestação de contas dos candidatos. Entre as informações que integrarão o sistema estão itens como dados pessoais e declaração de bens, além de outros detalhes do registro. Todas as informações são obtidas diretamente das bases de dados do Tribunal Superior Eleitoral e atualizadas três vezes ao dia, sempre às 8h, 14h e 19h.

Publicidade


*

Restam 500 digitos

Top