Publicidade

25 de Fevereiro de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

LUGAR CATIVO

O horário das sete tem se tornado vitalício para Joaquim Lopes. Escalado para "Geração Brasil", novela que irá substituir "Além do horizonte", o ator encara seu terceiro trabalho nessa faixa da grade de programação. Ele também esteve em "Morde & assopra'' e, recentemente, em "Sangue bom". Após o fim da trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, o ator engatou uma temporada no teatro com a peça "Intimidades'', de Gustavo Machado. "Meu desejo é continuar trabalhando. Na TV, nos palcos ou no cinema. O meu foco sempre é o trabalho", valoriza. Na história de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, Joaquim viverá o caça-talentos Domênico e fará par com Manuela, papel de Chandelly Braz. O personagem virá dos Estados Unidos, onde mora, para o Brasil para uma feira de tecnologia, onde conhecerá a jovem. "Domênico é um cara muito ambicioso e apaixonado. Mas é tudo que posso adiantar", explica ele, que já começou o trabalho de composição para o papel. "Tenho lido livros pertinentes ao universo dele, e voltei a fazer fonoaudiologia, que sempre fiz e havia parado por um tempo'', completa. Acostumado a personagens inseridos nos núcleos cômicos, Joaquim afirma que seu novo trabalho passará longe da comédia. "É bom quando saímos da zona de conforto. Mas em momento algum temo ficar rotulado pelo humor", ressalta.


MENOS TRABALHO

A Globo optou por encurtar "Em família" e a trama terá 149 capítulos, 30 a menos do que o previsto inicialmente. Será o menor folhetim do horário das nove desde "Os gigantes'', de 1979. O principal motivo para o encurtamento seria uma adaptação da grade para a Copa do Mundo. Agora, o folhetim de Manoel Carlos chegará ao fim no final de julho. O novo cronograma não deixou Aguinaldo Silva preocupado. O autor, que irá ocupar o horário com ''Falso brilhante", garante que tem trabalhado em ritmo acelerado desde o início.


NA GAVETA

Com as diversas mudanças no calendário de programação da Globo, o seriado "Doctor Pri'', também escrito por Aguinaldo Silva, foi adiado por tempo indeterminado. A emissora não quis colocar no ar duas produções do autor ao mesmo tempo. Apesar do adiamento, "Doctor Pri" já tinha seu elenco todo escalado e estava em fase de leituras.


DOBRADINHA

Apesar da proximidade, "Pecado mortal" irá exportar alguns atores para ''Vitória", nova novela da Record. Marcos Pitombo e Aline Borges já estão escalados para a trama escrita por Cristianne Fridman. O ator irá substituir Dado Dolabella no papel de um neonazista. Já Dado irá formar um triângulo amoroso com os protagonistas Thaís Melchior e Bruno Ferrari. Atualmente, Marco vive o descamisado Ramiro na história de Carlos Lombardi.


PISTA DE LARGADA

A Band decidiu sair na frente na estreias para março. Por isso, a emissora antecipou para 5 de março primeira exibição do novo "Agora é tarde" com Rafinha Bastos. Inicialmente, o "talk show'' iria ao ar na segunda semana do mês. Com isso, o humorista irá estrear primeiro que Danilo Gentili no "The noite", do SBT. O ex-"CQC" entra no ar a partir do dia 10 de março.


DE OLHO

Dennis Carvalho já começou a pesquisar nomes para a próxima novela das nove escrita por Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga. Isabela Garcia e Hanna Romanazzi, que vivem Vera e Sofia, respectivamente, na atual temporada de "Malhação", estão cotadas para integrar o elenco. Atualmente, Dennis é diretor de núcleo do folhetim adolescente.


RÁPIDAS

# Nesta terça, a Record exibe o episódio "Sonhador", da primeira temporada de "Era uma vez".

# Hoje, os participantes Diego e Roni se enfrentam no paredão do "Big brother Brasil".

# Em "A teia", Macedo descobre, nesta terça, o telefone de Celeste, e Baroni fica preocupado.


FOI BEM

A criatividade e produção da chamada do novo "Agora é tarde" com Rafinha Bastos. No teaser, o apresentador aparece cantando e dançado a música ''I will survive" ao lado do elenco da Band. A chamada é uma clara oportunidade da emissora de rir e aproveitar a mídia com todo o histórico conturbado de Rafinha.


FOI MAL

A pouca variedade de quadros do "Caldeirão do Huck". O "Lar doce lar" dominou quase todo o programa do último sábado. Boa parte da produção foi uma reprise de uma antiga reforma promovida por Luciano Huck.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você leva em consideração a escolaridade do candidato na hora de votar?