Publicidade

27 de Março de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

TODO GÁS

JÉSSICA ELLEN sabe que a concorrência no meio televisivo é acirrada. Por isso, a atriz carioca de 21 anos acredita que tenha de investir nas mais diferentes oportunidades na TV. Após estrear como a simpática Rita, de "Malhação", Jéssica se prepara para interpretar a jovem Alice, de "Geração Brasil", próxima novela das sete da Globo. "Trabalho é sempre bem-vindo. Ainda mais para mim que estou em início de carreira. É uma nova chance de aprender mais sobre esse veículo", vibra ela, que contracenará com grandes nomes da TV como Renata Sorrah, Lázaro Ramos e Taís Araújo. "Esse elenco está maravilhoso. Minha expectativa é sempre aprender, trocar e acumular experiência", completa. Na trama de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, a personagem de Jéssica será uma estudante de faculdade, dedicada e que trabalhará em uma grande empresa de tecnologia. "Ainda não sei muito sobre o papel. Os autores preferem manter o suspense", explica, aos risos. Ainda novata no meio televisivo, a atriz tem intensificado sua preparação para o folhetim. "Estou fazendo vários exercícios de aquecimento corporal e vocal. Estou buscando uma forma para Alice", ressalta. O folhetim dirigido por Denise Saraceni tem estreia prevista para maio, substituindo "Além do horizonte".


BEM X MAL

A principal trama de "Meu pedacinho de chão", próxima novela das seis, estará focada na disputa entre o retrógrado coronel Epa, papel de Osmar Prado, e o entusiasta Pedro Falcão, vivido por Rodrigo Lombardi, que defende o desenvolvimento de Vila Santa Fé. O duelo entre os dois se torna ainda mais acirrado quando Pedro Falcão, com a aprovação de todo vilarejo, decide criar a primeira escola daquela região. Epa levará até as últimas consequências isso, que é por ele considerado uma afronta pessoal. Epaminondas é o arquétipo do mal, representa a sombra, o retrocesso, a decadência, a vaidade e a prepotência. Já Pedro Falcão é o arquétipo do justiceiro, representa o trabalho e a terra. O folhetim tem estreia marcada para o dia 7 de abril.


DE OLHO NA AUDIÊNCIA

A segunda temporada do "Vai que cola" contará com a participação de Marcelo Medici. Na história, o ator dará vida a um personagem paulista. A ideia do Multishow é atrair os espectadores de São Paulo, uma vez que a história se passa no subúrbio do Rio de Janeiro. O humorístico encabeçado por Paulo Gustavo volta à programação do canal a partir do segundo semestre.


ALTAS EXPECTATIVAS

A Record pretende ousar em diversas sequências de "Vitória", próxima novela da Record. Edgar Miranda, diretor-geral, planeja reproduzir - dentro do plausível - algumas cenas do filme "O impossível" para retratar as sequências da fictícia enchente que acontece no início da história de Cristianne Fridman. O longa protagonizado por Naomi Watts relata o tsunami ocorrido em 2004 no oceano Índico.


MENINA DE OURO

Na disputa por Tatá Werneck, o "Caldeirão do Huck" levou a melhor. O programa comandado por Luciano Huck terá, novamente, a presença da atriz durante a cobertura dos jogos da Copa do Mundo. Durante a competição, cinco programas serão exibidos ao vivo e com o auxílio da humorista durante as transmissões. Tatá ocupou essa mesma função no ano passado durante a Copa das Confederações.


NO CALENDÁRIO

A Record definiu a data de estreia de "Me leva contigo", comandado por Rafael Cortez. A versão brasileira de "Take me out", um programa de namoro, será exibida a partir do dia 9 de maio, às 22h30, com direção de Wanderley Villa Nova.


RÁPIDAS

# Nesta quinta, Lazaro Ramos faz uma participação especial no episódio de "Doce de mãe".

# Hoje, começa a primeira etapa da disputa pela última liderança do "Big brother Brasil".

# A Record exibe, nesta quinta, o episódio "Viva livre ou morra", da quinta temporada de "Breaking bad";

# O filme "Brigada 49" é destaque na "Sessão da tarde" desta quarta.


FOI BEM

As chamadas de "Meu pedacinho de chão". Pelo simpático "teaser", já é possível perceber o cuidado e a elaboração artística de Luiz Fernando Carvalho.


FOI MAL

O desgaste do "Big brother Brasil". Em sua 14ª edição, o programa só ganhou fôlego na reta final e nem as inúmeras tentativas de movimentar o jogo alavancaram a repercussão do "reality show".

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você escolhe seu candidato através de: