Publicidade

01 de Maio de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

EM TODO CANTO

Transitar pelas mais variadas vertentes artísticas sempre foi um objetivo na carreira de Maria Flor. Aos 30 anos, ela ocupa as funções de atriz, roteirista, produtora e, recentemente, estreou na posição de diretora com a série "Só garotas", do Multishow. Distante do glamour da profissão, Maria acredita que cada projeto em seu currículo contribuiu para sua trajetória até a direção. "É minha primeiríssima direção, e foi muito bacana. Mas também foi bem difícil. Você tem de ouvir todos os departamentos envolvidos e conciliar todas as vontades", explica ela, que não se mantém longe das críticas. "Sou muito exigente comigo. Cada vez que trabalho com diretores diferentes e com métodos diferentes, vou enriquecendo meu currículo de ideias e técnicas'', completa. Ao lado de Paula Gicovate, Catharina Wrede e André Mielnik, Maria também assina o roteiro da produção, que aborda o cotidiano de quatro amigas e como elas lidam com questões do dia a dia. A semelhança com séries americanas como "Girls" e "Friends" é proposital de acordo com Maria. "No entanto, é uma produção menor com a cara das atrizes, a minha cara, a cara dos roteiristas", ressalta. O elenco conta com Flora Diegues, Vitória Frate, Julia Stockler e Liliana Castro.


BOLA EM CAMPO

A Globo pretende fazer da Copa do Mundo o grande filão de sua programação este ano. E a lista de convocados é o pontapé inicial da emissora em sua cobertura. No dia 7 de maio, o canal exibe ao vivo o "Rumo à Copa - Convocação" comandado por Galvão Bueno e com comentários de Walter Casagrande, Caio Ribeiro e Júnior, além da participação de Alex Escobar. À noite, o técnico Luiz Felipe Scolari estará na bancada do ''Jornal Nacional" para uma entrevista com William Bonner e Patrícia Poeta. Logo após a conversa, estreia a série ''Perfis'', liderada por Tino Marcos, que contará a trajetória de cada atleta convocado.


SEM ESCRÚPULOS

Após uma breve experiência como apresentador na nova MTV, Fiuk volta às novelas como o ambicioso Alex em "Geração Brasil", próxima novela das sete. Na história de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, o personagem de Fiuk se aproximará de Megan, papel de Isabelle Drummond, com a intenção de conseguir informações privilegiadas sobre a família Marra, liderada por Jonas, de Murílo Benício. "Ele não é vilão e nem mocinho. É uma espécie de anti-herói. Tem um pé na malandragem", explica. Inicialmente, o cantor participaria dos 40 primeiros capítulos. No entanto, sua presença no folhetim pode ser estendida. "Me falaram que fico mais. Já recebi mais capítulos. Estão me enganando", brinca, aos risos.


DEDICAÇÃO TOTAL

Nos últimos anos, Heloísa Périssé tem redescoberto o universo das novelas. Presença comum em programas e seriados de humor, a atriz também tem dedicado parte de seu tempo aos folhetins. Depois de ''Avenida Brasil", Heloísa está confirmada no elenco de "Boogie Oogie", próxima novela das seis, de Rui Vilhena. No entanto, antes disso, ela irá protagonizar a série "Segunda Dama", que estreia no dia 15 de maio e conta com roteiro da atriz.


FOI BEM

O desempenho de Welder Rodrigues, integrante do elenco do "Tá no ar: A TV na TV". Protagonista do quadro "Jardim urgente", o humorista é responsável por um dos melhores momentos da produção ao parodiar o sensacionalismo de programas policiais.


FOI MAL

A figuração de luxo de Paulo José, o Benjamin de "Em família". O papel do ator deveria abordar a questão da doença de Parkinson. No entanto, a temática foi deixada de lado, e o personagem permanece sem função na história de Manoel Carlos.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o subsídio do Governo vai alavancar a aviação regional?