Publicidade

08 de Maio de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

TRAÇOS MARCADOS

Os humoristas, algumas vezes, veem seus personagens ficarem maiores do que eles próprios. Foi exatamente o que aconteceu com o mineiro Gustavo Mendes. Apesar de interpretar diversos tipos, sua imitação da presidente Dilma Rousseff já virou um ícone. Por isso, seu nome é diretamente associado à dura mulher, sem papas na língua e que veste sempre um terninho vermelho. Contratado pela Band para integrar o elenco de "Agora é tarde", o ator vê sua criação tomando conta de outros produtos da emissora. Recentemente, ele apareceu no "CQC" dando bronca em parlamentares pelo telefone. "A Dilma nasceu através de uma brincadeira. Tem gente que até acha que eu me pareço com ela", diz, aos risos. O sucesso de sua imitação vem abrindo cada vez mais portas para ele. "Meu trabalho na Band é bem elástico. Por isso tenho liberdade de passear por diferentes produtos", afirma. No entanto, ele garante que não quer ficar eternamente ligado a um tipo exclusivo. "Obviamente, a Dilma vai aparecer muito. Afinal, foi ela quem me abriu as portas. Mas estou livre para fazer outras coisas, criar mesmo", comemora.


LADO NEGRO

Cássio Gabus Mendes nem bem saiu de "Além do horizonte" e já está escalado para "Babilônia", trama que Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga escrevem para o horário das 21h. Velho conhecido do time de autores - com quem já trabalhou em clássicos como "Vale tudo", de 1988 -, Cássio será um dos principais vilões da trama.


NA FAVELA

Ainda sobre a trama de Gilberto, boa parte da história será ambientada no Morro da Babilônia, localizado na Zona Sul do Rio de Janeiro. Depois de anos sob o domínio de traficantes, a região recebeu uma Unidade de Polícia Pacificadora, em 2009. A ideia dos autores é se utilizar do contraste entre as realidades do morro e do asfalto, algo que já virou "modinha" em novelas. Basta lembrar de tramas como "Duas caras" e "Salve Jorge".


CABEÇA NO LUGAR

Chandelly Braz encara sua protagonista em "Geração Brasil" com sobriedade. Na "luta" por um lugar ao sol há dez anos, a atriz sabe bem quantos testes fez sem sucesso e o quanto precisou trabalhar até chegar ao papel da doce e inteligente Manu. Ao se preparar para a nova personagem, tudo ficou ainda mais afetivo quando Chandelly soube pelos próprios autores, Izabel de Oliveira e Filipe Miguez, que ela foi a inspiração para a criação do núcleo recifiense da atual novela das sete.


AI, NETE!

Claudia Rodrigues é só felicidade com a reprise de "A diarista" pelo canal Viva. Comédia de sucesso entre 2004 e 2007, a série volta ao ar a partir da próxima segunda, 12 de maio. Para a atriz, assim como aconteceu com o humorístico "Sai de baixo", estar na grade do canal pago pode fazer com que a Globo ou algum outro canal por assinatura da emissora, enfim, encomende episódios inéditos do seriado. Além de crises internas, o principal motivo para o cancelamento da produção foi o tratamento da protagonista contra a esclerose múltipla.


NOVA RELAÇÃO

Cria do cinema independente e do teatro experimental, Irandhir Santos é bem criterioso com as escolhas de sua carreira. Talvez por isso o esquema comercial e industrial da televisão sempre tivesse ficado em segundo plano nas preferências do ator. No entanto, algo mudou nos últimos meses. Sete anos depois de participar de "A pedra do reino", sua estreia na TV, o ator voltou ao ar como o inescrupuloso João de "Amores roubados". "A repercussão foi incrível. Essa resposta imediata que o ator tem na TV é muito bacana. A ideia agora é tentar conciliar projetos em diferentes veículos", destaca o ator, que ratifica seu prazer em estar na TV como Zelão de "Meu pedacinho de chão", atual novela das seis. "Acho que nunca farei um personagem como esse na vida. Então, tenho de aproveitar ao máximo. Tudo é mágico na vila de Santa Fé. Parece brincadeira, mas é trabalho", exalta.


RÁPIDAS

# A Globo exibe nesta quinta, às 23h20, o último capítulo de "Doce de mãe".

# O "Tá no ar: A TV na TV" mostra, com humor e exclusividade, a cobertura de uma badalada festa da high society. Hoje, à meia-noite, na Globo.

# Roberto Justus comanda uma gincana em que as celebridades terão de vender objetos que estão dentro de um contêiner. A Record exibe o "Aprendiz celebridades" às 22h15.

# Otávio Mesquita encarna a "ombudsgay" Tábata para analisar programas da grade do SBT. O "Okay pessoal" vai ao ar às 2h.


FOI BEM

Para a nova temporada de "Pé na cova". Apesar da saída de Marília Pêra, a série continua se mantendo forte e coesa. Com um ar mais melancólico e recheado de músicas internacionais, a produção não deixou de ser reflexiva e engraçada.


FOI MAL

Para o excesso de sotaques de "Geração Brasil". Misturando sotaques americanos e recifenses, a novela de Izabel de Oliveira e Filipe Miguez apela demais para o estereótipo e cansa o telespectador.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você já presenciou manifestações de intolerância religiosa?