Publicidade

27 de Junho de 2014 - 06:00

Compartilhar
 

POR MÉRITO

A repercussão e audiência de "O caçador'' podem estar aquém do resultado esperado. No entanto, o prestígio e a qualidade artística de José Alvarenga Jr. incitam diversas participações especiais ao longo do seriado. Como é o caso de Marcelo Serrado, que interpreta o misterioso Douglas no episódio desta sexta. Na história, o personagem do ator será feito de refém em um quarto junto com o protagonista André e a prostituta Thaís, vividos por Cauã Reymond e Bárbara Paz. "Como a história se passa toda em um quarto, precisava de um ator que segurasse essa energia e essa adrenalina. O Marcelo era perfeito", valoriza José Alvarenga, que também assina o texto da série. Ao longo do episódio, os personagens descobrem que alguém está interessado em apenas um deles. Enquanto estão reféns, todos se apresentam, contam suas histórias e tentam descobrir quem pode estar na mira. No final, ficam sabendo que todos têm um motivo para ser alvo de alguém. "É muito louco você ficar torcendo para que o motivo do outro para morrer seja maior do que o seu", explica o diretor, que prefere manter suspense quanto à história do personagem de Marcelo. "Não posso falar. Se eu falar, vai estragar toda a surpresa do seriado. O legal é o público não ter ideia do que irá acontecer", despista.


DO FUNDO DO BAÚ

Aguinaldo Silva irá resgatar um ator ícone dos anos 1980 no elenco de ''Império". Jonas Torres, que ficou conhecido por interpretar Bacana na série "Armação ilimitada", retorna à televisão como o catador de lixo Ismael na próxima novela das nove. Os últimos trabalhos do ator foram em "Top model", de 1989, e "Vamp", de 1991. Ao longo de seus 23 anos longe da TV, Jonas Torres trabalhou com aviação nos Estados Unidos e se dedicou ao teatro.


CASA NOVA

Após alguns trabalhos na Globo como "Malhação" e "Amor eterno amor", Mariana Molina está escalada para um dos episódios da minissérie "Milagres de Jesus". Em ''O endemoniado cego e mudo'', a atriz viverá Noemi, uma jovem que lutará contra os pais e uma possessão demoníaca que acontece com o amado Aziz, papel de Pedro Nercessian, para junto com ele viver um grande amor. O episódio vai ao ar no dia 9 de julho.


SURPRESAS

Benedito Ruy Barbosa não esperava muito trabalho ao longo de "Meu pedacinho de chão". Mas o caráter aberto do folhetim surpreendeu o autor, que foi obrigado a mexer na novela. Benedito, que havia finalizado a trama antes da estreia, precisou reescrever os rumos da história de Gina, interpretada por Paula Barbosa, após o sucesso da personagem. A ideia é que a neta do autor ganhe maior participação nas cenas. Nos próximos capítulos, Gina demonstrará interesse por Viramundo, papel de Gabriel Sater.


RITMO QUENTE

Rui Vilhena está com os trabalhos avançados em "Boogie Oogie". Com estreia prevista para o dia 4 de agosto, o autor já entregou os 18 primeiros capítulos da nova novela das seis. A margem é suficiente para que ocorram mudanças na história de acordo com a audiência. O folhetim conta com Isis Valverde, Marco Pigossi e Bianca Bin nos papéis principais.


VIDA LONGA

Prestes a estrear em "O rebu", Vera Holtz renovou seu contrato com a Globo. A atriz vai na contramão da nova política da emissora em reduzir o seu "casting" de atores. Além de interpretar a viúva festeira Vic no remake das 23h, Vera também está reservada para a próxima novela de João Emanuel Carneiro, que tem estreia prevista para o segundo semestre de 2015.


RÁPIDAS

# O "Globo Repórter" desta sexta mostra as belezas do Panamá e da Costa Rica.

# A Band reprisa, hoje, os melhores momentos do "Pânico na Band".

# Neste sábado, vai ao ar o 200º programa do ''Legendários", comandado por Marcos Mion.

# Amanhã, o SBT exibe o filme ''Moonwalker'', no ''Cine família", em homenagem aos cinco anos de morte de Michael Jackson.


FOI BEM

O desempenho de Dan Stulbach como o perturbado Paulo Hélio de "Segunda dama". Através de sutis gestos corporais, o ator encarna um homem obsessivo por ordem e limpeza sem grandes exageros.


FOI MAL

Os constantes deslizes das equipes da Band ao longo das transmissões da Copa do Mundo. É recorrente o número de vezes que repórteres e apresentadores erram nomes de jogadores ou trocam informações. É necessário mais cuidado e segurança na cobertura de um evento ao vivo.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Governo federal deve refinanciar as dívidas dos clubes de futebol?