Publicidade

04 de Julho de 2014 - 06:00

Compartilhar
 
 Mordomo de novela ganha a telona após tornar-se milionário
Mordomo de novela ganha a telona após tornar-se milionário

'Crô'

Após herdar a fortuna de Tereza Cristina, sua ex-chefe, Crodoalvo Valério, mais conhecido como "Crô", decide respirar outros ares, já que se cansou da vida de milionário. Desejando encontrar uma nova musa a quem possa dedicar sua vida, ele inicia uma busca pessoal, na qual entrevista diversas peruas. Seu objetivo é encontrar aquela que seja a mais merecedora de seus trabalhos como mordomo. Entretanto, após muito avaliar, ele acaba percebendo que sua musa ideal é justamente aquela que jamais havia imaginado. Hilariante, a comédia migrou da televisão para a telona, levando um dos personagens que mais cresceu no folhetim "Fina estampa", de Aguinaldo Silva, responsável pelo roteiro do filme. Marcelo Serrado, que viveu Crô na TV, também interpreta o caricato profissional no cinema, para onde o longa levou mais de 1,5 milhão de espectadores. Telecine Premium, 22h

"Crô", Brasil, 2013. Direção Bruno Barreto. Com Marcelo Serrado, Ivete Sangalo e Nataly Cabanas. Comédia, cor, 95 min.


ESTRANHOS NORMAIS

Ézio é um escritor em crise que decide escrever o roteiro de um filme. Narrador da trama, ele cria a história de duas famílias que se aproximam, após dois jovens de 15 anos resolverem se casar. Nesse universo, as mães são neuróticas, os pais são mais loucos que seus filhos, as avós se mostram completamente malucas, e os cachorros se apaixonam. TV Cultura, 22h

"Happy family", Itália, 2010. Direção Gabriele Salvatores. Com Fabrizio Bentivoglio, Margherita Buy e Valeria Bilello. Comédia, cor, 90 min.


LEGIÃO

Uma lanchonete afastada torna-se um improvável campo de batalha que assegura a sobrevivência da raça humana. Quando Deus perde a fé na humanidade, ele envia seu exército de anjos para iniciar o apocalipse. A única esperança da humanidade reside em um grupo de pessoas que não se conhecem e que estão na lanchonete deserta, e no Arcanjo Miguel. Megapix, 22h30

"Legion", EUA, 2010. Direção Scott Stewart. Com Lucas Black, Paul Bettany e Tyrese Gibson. Ação, cor, 115 min.


O AMOR NÃO TIRA FÉRIAS

Iris Simpkins é uma famosa colunista do "Daily Telegraph", de Londres, que se apaixona pelo cara errado. Amanda Woods é dona de uma próspera agência de publicidade de Los Angeles que descobre as traições do namorado. Na internet, elas encontram um site especializado em intercâmbio de casas e combinam a troca. Logo a mudança traz reflexos na vida amorosa de ambas, com Iris conhecendo Miles, um compositor de cinema, e Amanda se envolvendo com Graham, irmão de Iris. Record, 16h30

"The holiday", EUA, 2006. Direção Nancy Meyers. Com Cameron Diaz, Kate Winslet e Jude Law. Comédia, cor, 131 min.


Papo de Gilbertos

Para quem se acostumou com Gilberto Gil dando voz a reggaes, ouvi-lo cantando "Você e eu", "Eu sambo mesmo assim", "O pato" e "Desafinado", pode parecer estranho. Mas não é. A bossa, o samba-canção e o samba de roda casam muito bem com a voz de Gil, que no novo disco, "Gilbertos sambas", homenageia João Gilberto interpretando os clássicos de sua carreira. Passando por autores como Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Carlos Lyra, sem se esquecer de Caetano Veloso, Gil revela novas nuances do tropicalista. No bate-papo com Charles Gavin, no "O som do vinil" deste sábado, Gil lembra de quando ouviu a música "Chega de saudade" pela primeira vez e como isso o influenciou a começar a tocar violão. O cantor e compositor também fala do novo trabalho e dá canja de algumas canções. Canal Brasil, 21h30


DIVERSO

O programa deste sábado revisa a trajetória literária de Paulo Leminski, reconhecido escritor curitibano de forte experimentalismo, morto no auge de sua marginalidade. Poeta, crítico, tradutor e compositor, ele deixou 19 livros e uma legião de seguidores. Seu biógrafo, o jornalista Toninho Vaz, e seu filho, Lucky Leminski, além do amigo, e também músico, Arrigo Barnabé, comentam uma produção conhecida por sua acidez e perspicácia. TV Brasil, 17h30


CONTRAPLANO

Primeiro episódio da nova safra de inéditos da série documental, "Droga" aborda como os entorpecentes são retratados no cinema a partir dos filmes "Meteorango Kid - o herói intergaláctico", de 1970, dirigido por André Luiz de Oliveira; "Meu nome não é Johnny", de 2007, dirigido por Mauro Lima; "Quebrando tabu" de Fernando Grostein Andrade, lançado em 2011; e "Paraísos artificiais", de Marcos Prado, apresentado em 2012. O professor e curador de artes plásticas Tadeu Chiarelli debate o assunto com o dramaturgo e diretor Hugo Possolo. SescTV, 22h

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que alertas em cardápios e panfletos de festas sobre os riscos de dirigir sob efeito de álcool contribuem para reduzir o consumo de bebidas por motoristas?