Publicidade

26 de Dezembro de 2013 - 06:31

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, visitou nesta quinta-feira o Santuário Yasukuni, visto pelos países vizinhos como um símbolo do passado militarista do país. O premiê se recusou a dizer se voltará ao santuário no futuro. A visita pode agravar ainda mais as relações com a China e a Coreia do Sul.

A visita foi recebida com surpresa, já que Abe se absteve de ir desde que assumiu o governo em dezembro do ano passado, argumentando que queria evitar que o assunto se transformasse em uma questão diplomática.

"Eu ofereço meu respeito para aqueles que perderam as suas vidas preciosas pelo nosso país e rezo para que as suas almas descansem em paz", disse Abe após a visita.

O premiê japonês já disse que se arrependeu de não ter visitado o santuário durante o seu primeiro mandato como primeiro-ministro, entre 2006 e 2007. A visita de Abe ocorre exatamente um ano depois que ele voltou ao poder e é vista como uma jogada para pedir apoio de sua base conservadora.

Neste ano, ministros do governo japonês já fizeram visitas ao santuário e provocaram protestos em Seul e Pequim.

Durante o encontro, Abe disse que a visita á Yasukuni representava um compromisso em não levar o japão á uma situação de conflito. Ele ainda disse que não gostaria que a visita ferisse o sentimento dos povos da Coreia do Sul e da China e que gostaria de explicar a postura do governo japonês aos líderes desses países. Fonte: Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?