Publicidade

12 de Dezembro de 2013 - 11:28

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O advogado Osvaldo Sestário afirmou nesta quinta-feira que avisou na ainda semana passada a Portuguesa sobre a suspensão de dois jogos imposta ao meia-atacante Héverton pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube estaria alegando que só recebeu a notificação sobre a punição de dois jogos na segunda-feira.

"O atleta pegou dois jogos de suspensão, por ter sido classificado em um artigo mais pesado. E, assim que deu um intervalo na sessão, a Portuguesa entrou em contato com a gente e eu falei do resultado do julgamento. Falei que tinha pego duas partidas", declarou o advogado, em entrevista à Sportv.

"Voltamos a conversar naquele mesmo dia para tratar de outros assuntos, como a liberação do Gilberto [em outro julgamento]. E ficou bem claro para quem estava do meu lado que não teve qualquer tipo de problema [na comunicação]", reforçou Sestário, que sugeriu uma falha de comunicação dentro do próprio clube. "Não sei se ouve falha dentro da Portuguesa."

Ele disse ainda que, em razão das brechas do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, sugeriu ao clube não escalar Héverton no fim de semana. "A gente sempre orienta o clube a não escalar o jogador. Infelizmente, isso não competia a mim, não sei porque ele foi escalado. Nem era titular, mas eu não fiz parte dessa decisão", disse.

A punição aplicada à Héverton ganhou repercussão nesta semana por causa da possibilidade de punição à Portuguesa, o que acarretaria a queda da equipe para a Série B e a permanência do Fluminense na primeira divisão.

O julgamento do atleta aconteceu na sexta-feira, em razão de sua expulsão na partida contra o Bahia, na 36ª rodada do Brasileirão. Ele já havia cumprido suspensão automática, mas corria o risco de receber punição maior no julgamento, o que acabou sendo confirmado pelo STJD na sexta. O tribunal decidiu punir o jogador com dois jogos de suspensão.

Havia dúvida, porém, sobre a comunicação desta pena ao clube. No início da semana, especulou-se que o advogado não teria informado corretamente a Portuguesa sobre a pena de dois jogos, o que teria aberto a possibilidade de o clube relacionar o atleta para o jogo do domingo, contra o Grêmio - Héverton entrou em campo no segundo tempo.

Sestário, no entanto, desfez a dúvida ao confirmar que informou a Portuguesa sobre a suspensão de dois jogos. "A verdade é que a comunicação aconteceu. Eu lamento que isso [punição] tenha acontecido. Lamento por essa proporção que a coisa toda ganhou."

Advogado de diversos clubes junto ao STJD, ele disse ainda que nunca trabalhou para o Fluminense, que seria beneficiado por uma eventual punição à Portuguesa. "Já fui advogado do Vasco por dois anos e meio, mas nunca representei o Fluminense", declarou. "Queria deixar claro também que não tenho qualquer vínculo com a CBF. Meu vínculo é particular com os clubes."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?