Publicidade

16 de Janeiro de 2014 - 15:22

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

Membros do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, grupo lidado à Al-Qaeda, entregaram panfletos pedindo aos moradores de Faluja que peguem em armas e ajudem os militantes em sua luta contra tropas do governo, enquanto confrontos aconteciam nas proximidades da cidade.

Desde o final de dezembro, forças iraquianas e integrantes de tribos sunitas aliadas, têm lutado para recapturar territórios importantes tomados por militantes da Al-Qaeda na província de Anbar, dominada pelos sunitas. Os confrontos acontecem principalmente em Faluja e em partes da capital da província, Ramadi.

Falando à Associated Press por telefone, moradores de Faluja disseram que os militantes distribuíram panfletos com o emblema do grupo nos principais cruzamentos da cidade nesta quinta-feira e no dia anterior.

Os panfletos convocam os moradores de Faluja a se unirem aos combatentes da Al-Qaeda, doem dinheiro e abram suas casas para que funcionem como abrigos, disseram os moradores, que falaram em condição de anonimato, temendo por sua segurança. Outro panfleto anunciava que a Al-Qaeda vai formar a Comissão para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, que vai analisar disputas entre moradores de Faluja.

Confrontos entre forças de segurança iraquianas e militantes da Al-Qaeda foram registradas em dois bairros de Faluja da noite de quarta-feira até a manhã desta quinta-feira, disseram os moradores.

Segundo um funcionário da área médica, o hospital da cidade recebeu os corpos de sete homens, mortos durante os confrontos, e 13 feridos. Ele não pode dizer quantos dos mortos eram militantes ou civis.

Segundo a televisão estatal iraquiana, forças do governo e integrantes de tribos aliadas entraram em confronto no interior e ao redor de Ramadi nesta quinta-feira, retomando várias áreas que estavam nas mãos da Al-Qaeda.

Dois graduados oficiais militares disseram que um soldado foi morto e três ficaram feridos durante confrontos entre soldados e militantes na vila de al-Bubali, que fica entre Faluja e Ramadi.

Os tumultos em Anbar tiveram início em 28 de dezembro, depois da detenção de um legislador sunita, procurado por terrorismo e pelo desmantelamento de um acampamento de protesto sunita em Ramadi. Para aliviar a tensão, o governo retirou o Exército das cidades, permitindo que os militantes tomassem o controle.

Em Bagdá, uma bomba explodiu num mercado a céu aberto no subúrbio de Nahrawan, leste da cidade, matando três civis e ferindo seis, informou um policial. Outra bomba explodiu numa área comercial a oeste de Bagdá, no bairro de Ghazaliyah, matando dois civis e ferindo nove, disse ele. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprovou a seleção convocada por Dunga?