Publicidade

13 de Janeiro de 2014 - 14:31

Por Carla Araújo - Agencia Estado

Compartilhar
 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou nesta segunda-feira, 13, que a lei que diminui o número e regulamenta os desmanches no Estado vai reduzir os roubos e furtos de veículos. "Já aprovamos uma lei na Assembleia Legislativa para reduzir o número de desmanches ao mínimo necessário. Esses poucos que vão continuar, nós vamos legalizá-los", disse.

Alckmin afirmou que a medida de reduzir e regularizar os desmanches deve mudar o cenário de roubos e furtos de automóveis. Com a nova lei, as empresas que atuam na compra de veículos para desmonte terão que ser responsáveis pela venda para o consumidor final, ou seja, não poderão repassar essas peças para revendedores.

"Hoje você desmancha uma moto em 20 minutos, então tem muito roubo para abastecer peças. Por isso, pode ter certeza que vai cair o roubo e furto de automóveis no Estado", afirmou, depois de participar da abertura da 41ª Feira Internacional de Calçados, Artefatos de Couro e Acessórios de Moda (Couromoda), que acontece de hoje (13) ao dia 16 na capital paulista.

Segundo o governador, apesar de o número de roubos e furtos ter crescido em São Paulo, houve uma redução importante dos crimes contra a vida. "Em homicídios temos hoje um dos menores indicadores do Brasil e também tivemos queda nos latrocínios", disse.

O governador comentou ainda os 12 assassinatos ocorridos entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira, 13, em bairros de uma mesma região na periferia de Campinas, interior de São Paulo. Os crimes ocorreram em locais diferentes, mas a Delegacia de Homicídios vai apurar se há relação entre as mortes. "A polícia já está trabalhando. As mortes foram próximas uma das outras. O dr. Grella (Fernando Grella Vieira, secretário de segurança pública) está pessoalmente neste trabalho", disse Alckmin.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você aprova o retorno de Dunga para o comando da Seleção Brasileira?