Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 09:49

Por Almir Leite e Raphael Ramos - Agencia Estado

Compartilhar
 

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, visitará o Itaquerão na tarde desta segunda-feira convicto de que confirmará as boas informações sobre o andamento da obra que tem recebido quase diariamente dos responsáveis pela construção. Aldo deverá observar que a obra voltou ao ritmo normal. Isso está sendo possível, de acordo com a vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, que também é coordenadora da SPCopa, porque os operários já superaram o trauma do acidente que causou a morte de dois de seus companheiros.

Em entrevista à reportagem, ela lembrou a previsão feita pelos engenheiros de que tudo será recuperado e o estádio ficará pronto para a Copa. "O que vai exigir mais tempo é a reconstrução do pedaço afetado pelo acidente. No resto do estádio, as obras estão em um ritmo para que tudo termine no fim de dezembro, como era o previsto, como os holofotes, assentos das cadeiras, asfalto para o estacionamento", afirmou Nádia. "Isso será concluído no prazo normal."

O cronograma de testes que o Corinthians havia programado para ocorrer a partir de fevereiro poderá sofrer alterações. Mesmo assim, Nádia não vê motivos para preocupações extras. "Pode ser que assim que se termine tudo, incluindo a reconstrução da área do acidente, com a estrutura permanente, que se inicie os testes com 20%, 40% da capacidade. São testes de pequeno e médio porte. A data de 15 de abril é para fazer o teste de 100% do estádio", disse Nádia, garantindo. "O acidente provocou uma alteração de 30, no máximo 45 dias, do prazo previsto inicialmente."

Na última sexta-feira, dia da entrevista, a coordenadora da SPCopa dizia acreditar que a liberação para trabalhos na área do acidente poderia ser dada até hoje. "Não é preciso esperar o laudo final da perícia técnica para desinterditar a área." Nádia disse que os engenheiros da Fifa constataram que não houve impacto no piso térreo da arena com o acidente. "O dano maior está no terceiro pavimento. Em princípio, não tem mais folga. Por isso, ninguém quer perder mais tempo."

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com a multa para o consumidor que desperdiçar água, conforme anunciou o Governo de São Paulo?