Publicidade

09 de Dezembro de 2013 - 16:43

Por Idiana Tomazelli - Agencia Estado

Compartilhar
 

Depois de um final de semana conturbado nos aeroportos devido principalmente a falhas operacionais de companhias aéreas, como as da Gol, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) fará uma auditoria para verificar se o quadro de tripulantes das empresas é suficiente.

Segundo o diretor de Operações e Aeronaves da Anac, Carlos Eduardo Pellegrino, desde 2010 a agência levanta dados junto às companhias para verificar o número de tripulantes contratados por cada empresa.

Com o atraso do final de semana (que atingiu 43% dos voos da Gol no sábado e 48% no domingo), Pellegrino disse que a Anac decidiu auditar a empresa e verificar se os dados repassados estão corretos. Uma das hipóteses levantadas era a de que a Gol havia ficado sem tripulação suficiente após a demissão de funcionários da WebJet, adquirida pela empresa.

Segundo o diretor-presidente da Anac, Marcelo Guaranys, a Gol informou que opera longe do limite da capacidade da tripulação, mas a Anac optou por fazer a auditoria, que ainda não tem data para ocorrer.

Guaranys afirmou que a multa da companhia aérea Gol já chega a R$ 2,5 milhões, com o registro de 250 autos de infração e calculando a multa máxima de R$ 10 mil reais.

O diretor da Anac disse ainda que os representantes da Gol informaram, em reunião nesta segunda-feira, 9, na sede da Anac no Rio, que o transtorno foi causado inicialmente pelas condições meteorológicas e agravado por problemas de "gerenciamento de tripulantes" entre as cidades.

"A Gol perdeu o controle sobre esse gerenciamento", disse Guaranys.

Segundo ele, na sexta-feira, 6, todas as companhias já haviam normalizado suas operações, com exceção de TAM, com 25% de atrasos, e Gol, com 43%. No sábado, 7, só a Gol ainda registrava problemas, com atrasos em 48% dos voos. A operação só foi normalizada na última madrugada. Segundo a Anac, o ideal é uma taxa de atrasos inferior a 10%.

A Anac vai se reunir, na próxima quinta, dia 12, em Brasília, para programar a operação de fim de ano nos aeroportos. Segundo Guaranys, o plano de contingência prevê reforço no número de tripulantes e o compromisso das aéreas em não praticar overbooking (vender bilhetes acima da capacidade de operação).

Trezentos fiscais da Anac reforçarão o contingente de fiscalização em 12 aeroportos. "Tendo falhas, iremos para cima das empresas", disse Guaranys. A reunião de quinta contará com a participação de representantes de companhias aéreas, operadores de aeroportos e com o ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco.

O Plano de Contingência para a Operação Fim de Ano tem como objetivo fazer com que as companhias apresentem as medidas que pretendem implementar no período em que os aeroportos enfrentam alta demanda de passageiros.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?