Publicidade

29 de Dezembro de 2013 - 19:37

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O brasileiro Anderson Silva não tem mesmo sorte diante de Chris Weidman. Na madrugada de sábado, ao tentar retomar o cinturão dos médios no UFC 168, perdido para o mesmo adversário em julho, ele acabou sofrendo uma séria lesão e ainda não sabe quando poderá voltar ao octógono. Ele não foi bem no primeiro round, mas no seguinte tentava ditar o ritmo da luta quando acertou um chute no rival e teve uma fratura na canela esquerda. Teve de desistir do combate e viu o cinturão ficar mais distante.

A contusão foi tão séria que Anderson precisou sair de maca do octógono, com cara de dor e a perna imobilizada, enquanto Weidman recebia o cinturão de campeão sem ter muitos motivos para festejar. "Ele ainda é o melhor de todos os tempos, que Deus o abençoe. Eu me sinto bem com a vitória, mas não queria que ele se machucasse dessa maneira. Vinha trabalhando essa defesa nos meus treinamentos", disse Weidman. Agora ele terá pela frente outro brasileiro, Vitor Belfort, que assistiu à luta e aguarda a data do confronto. "Eu preciso relaxar um pouco, mas será um grande teste para mim", concluiu Weidman.

Vitor Belfort, por sua vez, lamentou a lesão de Anderson Silva e prometeu trazer o cinturão de volta para o País. "Foi muito triste essa lesão, senti a dor dentro de mim. Fico triste em saber que o resultado terminou desta forma. De qualquer forma, estou pronto e esperando a minha vez. Vou trazer esse cinturão para o Brasil, tenho confiança na minha vitória. É trabalho duro e acho que o combate será marcado em breve", afirmou Belfort.

Somente um brasileiro saiu vitorioso no UFC 168: William Patolino, que castigou tanto o rosto de Bobby Voelker que seu cabelo ficou manchado de vermelho com o sangue do adversário. "Ele absorve muito bem as pancadas, minha mão está até doendo. Me impressionei bastante com ele", afirmou o lutador, que apesar da superioridade venceu apenas por pontos após três rounds. "Quero dedicar essa vitória à Baixada Fluminense e aos locais que estão tendo enchente. Eu estava muito preparado para esse combate, ele é um cara experiente, duro. Senti a energia positiva do público, mas sei que posso melhorar bastante", explicou.

Outros três brasileiros acabaram sendo derrotados. Gleison Tibau, em sua 21.ª luta pelo UFC, perdeu para Michael Johnson por nocaute a 1 minuto e 32 segundos no 2º round. "Eu estava confortável na luta, começando a ganhar a distância, mas nem vi o golpe que me acertou. Peço desculpas aos brasileiros, mas em luta isso acontece. Já passei por várias vitórias e várias derrotas, tem de levantar a cabeça. Foi uma fatalidade", comentou Tibau. Já Fabrício Morango foi finalizado por Jim Miller aos 3 minutos e 42 segundos do 1º round, enquanto Diego Brandão foi nocauteado por Dustin Poirier aos 4 minutos e 54 segundos do 1º round.

Chris Weidman venceu Anderson Silva por nocaute técnico no 2º round

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?