Publicidade

13 de Dezembro de 2013 - 15:58

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

Jorginho Campos não será o treinador da Ponte Preta em 2014. Após reunião com a diretoria na manhã desta sexta-feira, ficou definido que ele não terá seu vínculo renovado e deixará o clube. O principal motivo da saída é a nova situação financeira do clube, que terá menos dinheiro para investir com o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro. O técnico é considerado caro pela direção do time campineiro.

Jorginho deu mostras de sua saída da Ponte Preta logo após a final da Sul-Americana na última quarta-feira. Logo após a partida, ele fez um discurso emocionado ainda dentro de campo, elogiando o trabalho do elenco e agradecendo o fato de ter feito parte da trajetória da equipe na competição. No desembarque no Brasil, ele se despediu dos funcionários ainda no aeroporto e fez questão de dizer obrigado a cada um.

O presidente Márcio Della Volpe também não quis adiantar nada sobre o futuro do clube, que terá que remanejar seu planejamento inicial para a temporada 2014. A queda do time para a Série B do Brasileiro vai reduzir, de forma drástica, a receita do clube. A previsão era receber perto de R$ 30 milhões só dos direitos de televisão. Agora a cota deve girar em torno de R$ 3 milhões.

O nome favorito da diretoria para assumir o clube era o de Dado Cavalcanti, cotado desde a disputa do Brasileirão. O técnico, no entanto, foi apresentado nesta sexta-feira como treinador do Coritiba. Outros cotados como Silas Pereira e Sérgio Soares renovaram com América-MG e Ceará, respectivamente. Vadão, Estevam Soares e Argel Fucks chegaram a ser especulados.

Jorginho assumiu a Ponte no final de agosto no lugar de Paulo César Carpegiani e logo de cara classificou o time campineiro às oitavas de final da Sul-Americana após empate sem gols contra Criciúma. Foram 32 partidas, com oito vitórias, onze empates e 13 derrotas, conquistando um aproveitamento de 36% dos pontos disputados entre Sul-Americana e Brasileirão.

Logo que assumiu a equipe, entretanto, Jorginho demorou seis jogos (dois empates e quatro derrotas) para conquistar a primeira vitória - 2 a 0 sobre o Corinthians, em casa. No Brasileirão, a campanha do treinador não foi das melhores. Ele esteve no comando em 23 rodadas. Com 12 derrotas, seis empates e cinco vitórias, com 30% de aproveitamento. Com esta campanha, o time acabou rebaixado à Série B.

Por outro lado, o técnico foi um dos responsáveis pela campanha do vice-campeonato da Ponte na Sul-Americana. Pela primeira vez em uma competição internacional, ele conseguiu levar a equipe à decisão, eliminando times como Vélez e São Paulo. Na final, acabou derrotado pelo Lanús por 2 a 0, na Argentina, após empate por 1 a 1 no Brasil.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?