Publicidade

10 de Março de 2014 - 20:01

Por Marcio Dolzan e Ronald Lincoln Jr. - Agencia Estado

Compartilhar
 

Em sua primeira visita oficial ao Rio desde que foi eleito em setembro o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach elogiou nesta quarta-feira o trabalho que vem sendo feito na preparação para receber os Jogos de 2016. Após conhecer os locais que abrigarão as competições, ele se disse "impressionado", mesmo que algumas das obras projetadas para o evento sequer tenham começado.

"O que eu posso ver é uma grande transformação no Rio, para melhor", disse Bach. Ele classificou como positivas as reuniões que teve com o Comitê Organizador da Olimpíada do Rio e, sobretudo, com a presidente Dilma Rousseff, com quem se encontrou em Brasília na terça-feira. "Fiquei satisfeito com o grande trabalho coordenado entre todos os níveis de governo no apoio aos Jogos do Rio. Foi me mostrado que os Jogos deixarão um legado social e que a infraestrutura que está sendo feita será importante para o Rio."

Questionado sobre a situação do Complexo Esportivo de Deodoro - que será utilizado para a disputa de sete modalidades na Olimpíada e ainda não possui sequer o projeto básico concluído -, Bach reconheceu o atraso. "Ainda há muito o que se fazer, mas a boa notícia é que todo mundo sabe disso", ressaltou o presidente do COI, demonstrando confiança de que todas as obras projetadas serão concluídas dentro do prazo.

SOCHI - O presidente do COI evitou falar sobre as notícias de ameaças terroristas aos Jogos de Inverno de Sochi, que serão realizados no mês que vem, na Rússia. Mas, devido à insistência dos jornalistas, ele acabou fazendo breve comentário. "Segurança é um tema importante sempre, não apenas nos Jogos Olímpicos. Infelizmente, o mundo em que vivemos é assim", resumiu Bach, rechaçando a possibilidade de adiamento ou cancelamento do evento.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da adoção de medidas, como tarifas diferenciadas e descontos, para estimular a redução do consumo de água?