Publicidade

12 de Dezembro de 2013 - 12:52

Por - Agencia Estado

Compartilhar
 

Autoridades ucranianas se dirigiam para Bruxelas nesta quinta-feira para conversar com a União Europeia (UE), no mesmo dia em que a chefe da diplomacia do bloco, Catherine, declarou que o presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych "pretende assinar", em algum momento, um acordo comercial e de cooperação que ele rejeitou no mês passado.

Ashton, que conversou com Yanukovych e representantes da oposição nesta semana em Kiev, disse que está claro que as questões econômicas e financeiras de curto prazo enfrentadas pela Ucrânia podem ser aliviadas com a assinatura do acordo, que segundo ela levará novos investimentos de nações europeias para o país.

"Yanukovych deixou claro para mim que pretende assinar o acordo de associação", afirmou Ashton ao chegar para uma reunião em Bruxelas nesta manhã , após sua visita a Kiev.

Segundo ela, os problemas econômicos ucranianos "podem ser tratados com o apoio não apenas das instituições da UE, mas com a demonstração de que ele (Yanukovych) tem um sério plano econômico ao assinar o acordo de associação". A assinatura do acordo de associação "vai ajudar a levar (ao país) o tipo de investimento que ele precisa", afirmou.

Manifestantes, irritados com a decisão de Yanukovych de adiar o acordo, acompanharão a reunião de Bruxelas com atenção, pois temem que o presidente decida assinar um acordo para a participação do país na união aduaneira liderada pela Rússia quando o presidente russo Vladimir Putin se reunir com Yanukovych, semana que vem.

A Rússia tem feito pesadas pressões para que a Ucrânia se junte a seu bloco, que também inclui a Bielo-Rússia e o Casaquistão. Para opositores da ideia, o bloco efetivamente tentar recriar a União Soviética.

O ministro de Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, vai se reunir com colegas da UE na segunda-feira em meio às tensões entre Bruxelas e Moscou sobre a crise política na Ucrânia, informaram diversas fontes.

Lavrov vai se encontrar com ministros de Relações Exteriores da UE para uma discussão na hora do almoço. Catherine Ashton costuma convidar os responsáveis pela diplomacia de países não integrantes da UE para as reuniões mensais de política externa do bloco.

Diplomatas da UE dizem que as discussões com a Rússia a respeito dos países do bloco no leste do continente têm provocado uma reconsideração a respeito das ligações com bloco com a Rússia. Há anos a UE afirma que a Rússia é um de seus parceiros "estratégicos", juntamente com Brasil, China e Estados Unidos. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você acha que o Rio vai conseguir controlar a violência até a Copa do Mundo?