Publicidade

18 de Dezembro de 2013 - 08:46

Por Fabio Leite - Agencia Estado

Compartilhar
 

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou, na terça-feira, 17, o salário mínimo paulista de R$ 810 a partir de janeiro de 2014 para um grupo de trabalhadores da iniciativa privada que inclui domésticas, pescadores, serventes e motoboys. O valor representa aumento de 7,3% em relação ao piso atual de R$ 755.

Para uma segunda faixa de trabalhadores, que inclui, entre outros, carteiros, vendedores, pedreiros, operadores de telemarketing e cobradores de ônibus, o piso no Estado será de R$ 820, ante os atuais R$ 765, alta de 7,2%. Os reajustes agora vão para a sanção do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

As duas faixas são de categorias que não têm piso definido por lei federal, convenção ou acordo coletivo. Segundo o governo paulista, os pisos atingem aproximadamente 7 milhões de trabalhadores no Estado. No País, o salário mínimo deve ser R$ 722,90 no ano que vem, alta de 6,62% em relação aos atuais R$ 678.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?