Publicidade

21 de Dezembro de 2013 - 14:08

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

O clima de abatimento e de frustração foi visível no último treino do Atlético Mineiro antes do jogo deste sábado diante do Guangzhou Evergrande, da China, às 14h30 (de Brasília), na decisão do terceiro lugar do Mundial de Clubes da Fifa, em Marrakesh, no Marrocos. O treinamento também foi o último comandado pelo técnico Cuca, que acabou aceitando uma proposta milionária do Shandong Luneng, da China.

Após a atividade, realizada sob clima frio no Marrocos, o comandante revelou que perdoou Marcos Rocha pela atitude intempestiva do lateral-direito, que chegou a xingar o treinador após ser substituído durante o jogo contra o Raja Casablanca, na última quarta, na semifinal.

"Fiquei muito aborrecido porque é um menino que gosto muito. Com a qualidade dele, nós o fizemos. Mas eu como treinador o entendo porque ele estava com a cabeça quente, em um momento instável. Mas faz parte do passado. Que ele amadureça com essa situação, que não se repita na carreira dele porque pode ser prejudicial para ele mesmo. Tem que refletir. Foi falado com ele perante o grupo, que sirva de lição para que não fale mais no futuro. Da minha parte não tem nada, entendo a cabeça quente", disse Cuca, em entrevista coletiva.

Marcos Rocha, por sua vez, revelou nesta sexta que conversou com o treinador e admitiu que agiu de forma errada. "A gente conversou. Pedi desculpa, falei que era coisa de momento. Ele me conhece, sabe que não sou pessoa de mau coração, de mau-caráter. Ele sabe o carinho que tenho por ele", afirmou o lateral, que ainda concordou com o fato de que o Atlético o puniu com uma multa em razão de sua atitude. "Tenho que acatar, sou funcionário do clube", frisou.

De qualquer forma, Marcos Rocha terá a chance de apagar a impressão ruim que deixou na última quarta no jogo deste sábado, pois Cuca confirmou nesta sexta que irá repetir a mesma escalação titular usada no jogo diante do Raja Casablanca. "Nada mais justo que repetir a equipe para que eles possam fazer um jogo melhor que fizeram na quarta-feira. Não se encontra um culpado. Todos dividem um pedaço de culpa. O pedaço maior é meu, que foi a eliminação", disse Cuca, tentando aliviar o clima pesado que tomou conta da equipe após a derrota por 3 a 1 para o rival marroquino.

NO TIME CHINÊS - Se depender de Darío Conca, o raio vai cair duas vezes no mesmo lugar. O meia argentino quer surpreender o Atlético, derrotado de forma inesperada na semifinal, para levar o Guangzhou Evergrande ao terceiro lugar no Mundial de Clubes.

Conca prega respeito ao time brasileiro, que enfrentou algumas vezes com a camisa do Fluminense, mas aposta em uma nova surpresa na competição. "O Atlético é campeão da Libertadores com méritos e certamente teremos um desafio complicado, mas confio nesse grupo e acho que podemos surpreender neste sábado", disse o argentino.

Um dos principais jogadores do Guangzhou, o atacante Elkeson também mostra empolgação antes do confronto. "Amanhã (sábado) vamos entrar em campo para mais um grande desafio com a camisa do Guangzhou. Já fizemos um bonito papel de ter vencido a Champions League da Ásia e ter chegado até aqui, mas queremos e podemos mais do que isso".

Dupla de Elkeson no ataque chinês, Muriqui espera um duelo complicado, mas também sonha com a vitória. "Acredito que o Atlético jogará com uma postura diferente da que teve no jogo passado e esperamos um jogo muito duro. Vamos entrar em campo para uma partida como se fosse uma final de campeonato. Temos a possibilidade de entrar para a história do futebol chinês e nosso time tem consciência disso", declarou.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você é a favor da proibição de rodeios em JF, conforme prevê projeto em tramitação na Câmara?