Publicidade

08 de Dezembro de 2013 - 20:25

Por AE - Agencia Estado

Compartilhar
 

A Coreia do Norte confirmou hoje que o tio do líder Kim Jong-Un, Jang Song-Thaek, foi expulso do governo após se comprometer com "atos criminosos" e liderar "uma facção contra-revolucionária", segundo a agência de notícias estatal KCNA. Song-Thaek foi acusado de corrupção, uso de drogas e uma longa listas de outros atos "anti-Estado".

O poderoso tio de Kim Jong-Un, considerado a segunda autoridade mais poderosa do país, perdeu todos seus títulos e cargos após uma reunião central do partido governista. Com o fim da carreira de Song-Thaek, Kim Jong-Un perde um aliado considerado há tempos um mentor, na medida em que ele consolida seu poder após a morte de seu pai, há dois anos.

Segundo o comunicado da KCNA, Song-Thaek formou uma facção dentro do partido governista "ao criar uma ilusão sobre si próprio" e distorcer e enfraquecer os objetivos do partido. Algumas das acusações contra ele incluem "abuso de poder, irregularidades e corrupção, relações impróprias com mulheres, uso de drogas e jogatinas em cassinos durante tratamentos médicos em países estrangeiros".

Autoridades da Coreia do Sul disseram há alguns dias que dois assessores de Song-Thaek foram executados por corrupção e um recente documentário estatal da Coreia do Norte foi alterado para excluir imagens de Song-Thaek. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Publicidade

Publicidade

Mais comentários

Ainda não é assinante?

Compartilhe

Publicidade

Encontre um tema na

Pesquisa

Edição impressa

Enquete

Você concorda com o TJ, que definiu que táxi não pode ser repassado como herança?